Semana On

Quinta-Feira 21.nov.2019

Ano VIII - Nº 372

Campo Grande

Árvores floridas garantirão explosão de cores na nova 14 de Julho

Rede elétrica subterrânea da 14 de Julho é ligada, próximo passo é a retirada dos postes

Postado em 06 de Novembro de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O campo-grandense, apaixonado pelos ipês que embelezam a cidade a cada florescer, terão novos motivos para encher suas redes sociais e álbuns de fotografia nos próximos anos. A nova 14 de Julho proporcionará uma explosão de cores nas dezenas de árvores plantadas na obra do Reviva Campo Grande.

A 14 de Julho, da Fernando Corrêa da Costa a Avenida Mato Grosso, será colorida pelas 180 árvores que fazem parte do paisagismo da via, que foi toda transformada para que o campo-grandense volte a ter prazer em fazer compras no Centro da Capital, um pouco esquecido com a chegada dos shoppings e fortalecimento do comércio nos bairros.

As ilhas de descanso, instaladas por toda a extensão do Reviva Campo Grande, estão acompanhadas de mudas de ipê amarelo, árvore da China, aldrago, ipê branco, pau mulato, erva mate, pau ferro, jacarandá mimoso, lofântera da Amazônia, fruta de tucano, ipê roxo e grandiuva.

O colorido das árvores será um detalhe a mais na via, desenhada especialmente para o processo de pedestrelização, que consiste em devolver a rua aos pedestres, tirando da 14 o status de via de passagem de veículos.

A Obra

Entre as inovações previstas no projeto, está a instalação de rede de wi-fi em toda a via e câmeras de segurança em cada quadra. “Temos a concepção de um projeto que leva para a área central a proposta de um shopping a céu aberto, com toda a confortabilidade que o cidadão merece e busca quando vai fazer compras. Vamos devolver ao centro o status de coração comercial da cidade, e desta vez, um coração requalificado”, explica a coordenadora do Reviva Campo Grande, Catiana Sabadin.

Para se ter uma ideia da complexidade da obra, as profundas escavações mexeram em estruturas antigas, de mais de 60 anos. E tudo foi trocado. A rede de esgoto foi o primeiro serviço a ser concluído, seguido da drenagem.

O revestimento novo das calçadas, a rede elétrica e de telecomunicações, abastecimento de água, além da infraestrutura para Agetran, segurança e TI. Quando a obra for finalizada, dia 29 de novembro, não se verá mais os fios nos postes, que prejudicam a imagem da cidade.

Rede elétrica subterrânea

Depois de muita expectativa, foi ligada toda a rede subterrânea de média tensão da Rua 14 de Julho, no trecho que está sendo requalificado pelo Reviva Campo Grande. Isso significa que todos os cabos estão ligados, por debaixo da terra, o que possibilitará a retirada dos postes.

“Depois de todos os ensaios feitos com a mais alta tecnologia, e a dedicação de uma grande equipe, foi possível ligar a rede de média tensão. Esse trabalho é um marco no projeto e, a partir dessa etapa, os transformadores serão ligados. Não teve nenhum problema. Todos os ensaios foram aprovados até chegarmos aqui”, afirma o engenheiro eletricista Airton Vargas.

O profissional ainda explica que, a partir de hoje, todas as partes de telefonia e cabos já estão subterrâneas e a estimativa é que, dentro de sete dias, os postes começam a ser retirados. “Por questão de segurança, precisamos aguardar esse período ainda com os postes”, diz.

Foi energizado o sistema subterrâneo “sem carga”, ou seja, sem impacto para os clientes. Agora, a Energisa está realizando a migração dos clientes do sistema aéreo para o subterrâneo.

“É uma obra muito importante para o desenvolvimento da capital e o trabalho realizado pela Energisa neste momento garante, de fato, que a transição da rede aérea para a subterrânea aconteça com segurança e agilidade”, pondera o gerente de Construção, Manutnção e Distribuição (DCMD) da Energisa, Fernando Espindula Corradi.


Voltar


Comente sobre essa publicação...