Semana On

Quinta-Feira 21.nov.2019

Ano VIII - Nº 372

Coluna

Os conselhos que pessoas LGBTQ+ dariam a si mesmas antes de 'sair do armário'

Pessoas LGBT compartilham o que gostariam de dizer para as versões mais jovens de si mesmos, se pudessem voltar no tempo

Postado em 30 de Outubro de 2019 - Brittany Wong – Huffpost

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Toda história de “saída do armário” é diferente, mas a maior parte das narrativas inclui pelo menos um pouco de nervosismo. Raramente as  conversas são fáceis – e, em algumas circunstâncias e lugares, sair do armário pode ser perigoso. Mas, depois de se abrir com amigos e parentes, a sensação é de libertação. 

Acredite em quem já passou pela experiência. Por isso, pedimos que pessoas LGBTs compartilhassem com os leitores do HuffPost como suas vidas mudaram desde que se abriram e quais conselhos elas dariam para suas versões mais jovens. Eis o resultado:

Observação: as respostas foram ligeiramente editadas por motivos de estilo e clareza.

1. “Diria para a versão de mim mesma dentro do armário que ela não precisa da validação dos outros. Sempre busquei essa validação externa para me sentir bonita, inteligente, bem-sucedida e humana. Hoje, ainda sorrio quando me sinto acolhida e aceita pelos outros, mas sorrio ainda mais quando olho para mim mesma e sinto esse mesmo amor e aceitação.” – Carolina Gutierrez, empreendedora de Los Angeles que saiu do armário como transgênero aos 21 anos.

2. “Diria para mim mesma que as coisas ficariam muito difíceis muito rápido. Gostaria que meu eu passado estivesse preparado para perder muita gente querida; mas também gostaria que esse eu soubesse que hoje a sensação é de liberdade. Não vivo mais a vida que querem que eu viva. Estou cercada de gente incrível, que só me apoia. Tenho uma existência plena e estou empolgada por poder viver no momento. Se não fosse pela escuridão, jamais teria encontrado minha luz. Ah, e também contaria alguns números da loteria, pra poder pagar umas cirurgias.” – Olivia Noel, apresentadora de podcast de Gainesville, Flórida, que saiu do armário como trans e bi aos 19 anos.

3. “Eu diria: você pode alisar o cabelo, mas não o coração. Pare com isso e seja gay. E pare de alisar o cabelo. É feio pra ca***ho.” – Andrew Love, YouTuber de Los Angeles que saiu do armário entre os 15 e os 20 anos.

4. “Diria para mim mesmo que não tem problema não encontrar as palavras. Encontrar o rótulo certo para si mesmo pode demorar, e tudo bem, não saber de cara, ou mesmo depois de anos. Em algum momento você terá todas as palavras de que precisa para se definir.” – Ashton Daniel Thorne, YouTuber de Chapel Hill, Carolina do Norte, que saiu do armário como homem trans não-binário e gay aos 14 anos.

5.“Diria que a ansiedade de sair do armário nunca muda, seja contando ao vivo ou com uma piada no Facebook, como eu. Sua sexualidade é sua história pessoal, e só você pode decidir para quem vai contar e como vai contar. Então, tente fazê-lo da maneira que vai te deixar mais à vontade, mas saiba que aquela ansiedade sempre estará presente de alguma maneira.” –Mac Kahey, YouTuber de Los Angeles que saiu do armário aos 16 anos.

6. “Diria para mim mesma que as pessoas podem te surpreender. Você pode achar que certas pessoas não te amam porque são mais velhas, religiosas, o que for. Mas as pessoas contêm multidões. Não pré-julgue uma pessoa por achar que ela vai te pré-julgar. Abra seu coração e permita-se ser surpreendida pelo amor que você vai receber em troca.” – Dana Piccoli, editora na Bella Media, da Carolina do Norte. Ela saiu do armário aos 16 anos.

7. “Ah, minha pequena Court. Vejo que você está desesperada tentando entender essa atração por meninas. Escondendo seus sentimentos e dizendo que você só se importa demais com elas. Também estou vendo que você está entrando de aliada numa organização queer. Todo mundo sabe que você não é aliada, mas todo mundo quer que você chegue a essa conclusão por conta própria. Espero que você saiba que, um dia, verá que nunca daria certo com os caras que foram seus crush, e não só porque eles não estavam emocionalmente disponíveis. Na verdade, você também não estava, porque lá no fundo você sabia que não tinha nada a perder.

Mas suas restrições em relação ao sexo sumiram no instante em que uma loira de cabelo curto chegou na festa de aniversário do seu amigo. Um dia você estará sentada no sofá da sua melhor amiga, com a barriga cheia de macarrão, e sua mãe vai te mandar uma mensagem perguntando por que sua bio do Twitter diz “fotógrafa de filmes gays”. Será lindo e aterrorizante ao mesmo tempo. Um dia, no futuro, você poderá viver sua verdade. Todos os dias serão novidade. Seja gentil consigo mesma, você vai chegar lá.” – Courtney Coles, fotógrafa de Los Angeles que saiu do armário como bissexual aos 13 anos e – depois de voltar para o armário aos 15 – como lésbica aos 29.

8. “Continue sua transição, mesmo quando todos duvidam de você e digam que você é jovem demais e não sabe o que quer. Confie em seus instintos. Seja verdadeira, a despeito do que dizem seus amigos e parentes. Eles vão se convencer!” – Brandy Nitti, maquiadora de Nova York que saiu do armário como trans aos 19 anos.

9. “Se pudesse voltar no tempo e falar com meu eu adolescente, diria que ela não está sozinha. Que muito mais gente no mundo sente a mesma coisa. Que ter uma forte atração por mulheres, e ao mesmo tempo um desejo forte de tornar-se uma, não quer dizer que somos ‘pervertidas’ nem é motivo de vergonha. Significa que somos mulheres transgênero e lésbicas. É possível ser as duas coisas. Diria para mim mesma para aguentar firme, porque nossa hora chegaria. Um dia sairíamos do armário e descobriríamos que as pessoas mais importantes das nossas vidas nos aceitam e continuam nos amando. É possível ser feliz nesta vida, afinal de contas.” – Melody Maia Monet, YouTuber de Orlando que saiu do armário como mulher transgênero aos 39 anos.

10. “Se pudesse voltar no tempo, daria um abraço em mim mesmo e diria que tudo vai ficar bem. Diria que a vida melhora, apesar de às vezes parecer o contrário. Também diria para manter-me fiel a mim mesmo, porque você é uma pessoa incrível e pode conquistar o que quiser se der duro, qualquer que seja sua orientação sexual. Todo mundo merece ter chances na vida.” – Davonta Cooley, YouTuber de Atlanta que saiu do armário aos 23 anos.

11.“Se pudesse voltar no tempo e conversar comigo antes de sair do armário, diria que tudo o que estou sentido é válido. Tentaria explicar para mim que existem bissexuais, pessoas que sentem atração por mais de um gênero, que existe uma comunidade inteira com os mesmos sentimentos e experiências. Diria para mim mesmo que sair do armário não será fácil, mas será libertador.” – Vaneet Mehta, produtor e roteirista de Londres, que saiu do armário como bi aos 24 anos.

12 “Diria o seguinte: a riqueza de ser gay não tem a ver só com o sexo, mas com a identidade, que é diferente da de ser hétero. Contar para as pessoas que você é gay pode abrir um mundo diferente. As palavras ‘Sim, sou gay!’ exigem abertura, sinceridade e vulnerabilidade, mas elas têm o poder de te libertar.” – William Smith fundador do site Gay Life After 40, que mora em Chicago e saiu do armário aos 39 anos.

13.“Se pudesse voltar no tempo e dar conselhos para mim mesma antes de sair do armário, diria que aquela caloura da faculdade deveria seguir seu coração. Todos os tropeços da sua jornada moldam a pessoa que você vai ser. Sei que você não quer ouvir isso, mas o clichê é verdadeiro: vai ficar tudo bem. Continue sendo a melhor versão de si mesma e confie no processo. Tá na mão! PS: Você vai arrumar uma namorada linda no futuro.” – Georgia Bridgers, YouTuber de Cincinnati que saiu do armário como bi aos 19 anos.

14. “Diria para mim mesmo aos 16 anos que sou queer o bastante para sair do armário. No fim dos anos 90, quando eu estava chegando à maioridade, o discurso sobre os direitos LGBTQ se concentravam exclusivamente no L e no G. O B era apenas uma nota de rodapé, e o T praticamente não existia. Achava que era o tipo errado de queer. Só aos 29 anos encontrei a rica história de ativismo bi e me senti à vontade para sair do armário.” – Tris Mamone, freelancer de Easton, Maryland, que saiu do armário como bissexual aos 29 anos.

15. “Meu conselho para o eu mais jovem seria entender que as reações dos outros à minha saída do armário não são pessoais. Com o tempo, todos compreenderão, mas, assim como precisei de 19 anos para aceitar minha sexualidade, essas pessoas precisam de tempo para aceitar minha verdade. Independentemente da resposta dos outros, asseguraria meu eu mais jovem de que sair do armário seria a decisão certa, porque assumir a responsabilidade da sua verdade é sempre a decisão certa. Não há maior ato de amor próprio que defender sua verdade, por mais que o mundo te diga o contrário.” – Travis Bryant, YouTuber de Los Angeles, que saiu do armário aos 19 anos.

16. “Diria: ’seu receio é válido. Sua apreensão é justificada. Saiba apenas que, um dia, a liberdade vai lhe cair muito bem. A alegria de ser quem você é, apesar do que os outros pensem ou sintam, servem melhor do que qualquer roupa que você se forçou a vestir, qualquer situação da qual você quis fugir, todo o medo que você teve de expor sua verdade ao mundo. Você está passando por algo que parece instransponível, mas, quando chegar do outro lado, vai ficar espantado com a obra de arte em que se transformou. Prometo.:  ― Jenn M. Jackson, professora assistente da Universidade de Syracuse, que saiu do armário como bi/queer na adolescência.

*Este texto foi originalmente publicado no HuffPost US e traduzido do inglês.


Voltar


Comente sobre essa publicação...