Semana On

Quinta-Feira 12.dez.2019

Ano VIII - Nº 374

Pop-up

Poema de João

Postado em 17 de Outubro de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Por isso eu voo

 

Só entende-se a história

Quando a história chega ao fim

E entendi que amei mais nela o que dentro  dela era eu

 

Era minha melhor parte

Era minha música favorita

Era meu jeitinho doce ver a vida

Pena que também era ela

E ela era mais que nossas coincidências

 

Confesso, errei

Não lidei da melhor forma quando vi a forma que ela pensava e nossas divergências me puseram de encontro com o Outro

Aquele ser por de trás das cortinas do meu entendimento

 

Ela ficava sem roupa mas não ficava nua

Existia algum tecido invisível que a encobria...

Eu cavei, cavei fundo naqueles olhos tentando compreender o que se passava naquela cabeça

 

“Por que você não é igual a mim?”

Essa questão, outrora tão latente

Subia a superfície da minha consciência

E eu não conseguia afundar essa pergunta em mim,

Para tirá-la do meu campo de visão

Para voltar a viver como antes

Com beijos de cinema

Com abraços intermináveis que quase nos tornavam um só...

 

Tornar-se um só...

Eis minha primeira falha.

Não há completude nas relações

Apenas ajustes

E sou desajustado demais para viver com quem não cabe perfeitamente ao meu lado.

 

Mas dói demais saber que se alguém se tornasse perfeito pra mim,

Essa pessoa nunca seria completamente feliz

E eu não viveria em paz dando a alguém algo tão tóxico...

 

Por isso eu vou...


Voltar


Comente sobre essa publicação...