Semana On

Quinta-Feira 05.dez.2019

Ano VIII - Nº 374

Brasil

Por que o ensino superior privado produz tanto diploma e tão pouco saber?

Entre as 50 primeiras posições do ranking das 197 universidades públicas e privadas que atuam no Brasil, apenas sete são privadas

Postado em 10 de Outubro de 2019 - Reinaldo Azevedo - UOL

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Há algo de errado com o ensino universitário privado no Brasil, não é mesmo? E olhem que as mantenedoras não podem reclamar de desvantagem competitiva. Gozam de plena liberdade para oferecer o melhor. Tiveram ainda Prouni e Fies como estímulo. Por que isso?

A Folha trouxe nesta semana o ranking das 197 universidades públicas e privadas que atuam no Brasil. Nas 50 primeiras colocações, apenas sete são privadas:

18º – Pontifícia Universidade Católica do Rio Grande do Sul;
19º – Pontifícia Universidade Católica do Rio de Janeiro;
30º – Pontifícia Universidade Católica do Paraná
34º – Universidade Presbiteriana Mackenzie
36º – Universidade do Vale do Rio dos Sinos
42º – Universidade de Caxias do Sul
49º – Pontifícia Universidade Católica de Minas

E, ainda assim, convém notar que cinco das sete são ligadas à Igreja Católica: quatro PUCs e a Unisinos, vinculada aos jesuítas. A universidade de Caxias do Sul é uma fundação de direito privado, mas com forte presença do poder público local. Se formos considerar as 100 primeiras, apenas 34 têm gestão privada.

Duas universidades estaduais lideram o ranking elaborado pela Folha: USP e Unicamp, de São Paulo. O Estado ainda tem uma terceira universidade entre as dez melhores, em 6º lugar: a Universidade Estadual Paulista Júlio de Mesquita Filho (Unesp).

Convém refletir. A quase totalidade das pesquisas universitárias do país têm origem em instituições públicas. Nesse quesito, há apenas 13 universidades privadas entre as cem primeiras. Com a devida vênia, é uma vergonha. E a mais bem-colocada está em 19º lugar. No critério "ensino", as privadas são apenas 14 das 100 — seis delas são PUCs.

Há ainda muito a falar a respeito. Em tempos em que se imaginam tantas feitiçarias sobre o ensino universitário, com um ministro da Educação — Abraham Weintraub — que tem óbvio déficit de alfabetização, é bom que a sociedade civil reflita sobre o seu futuro.

É preciso saber por que o ensino universitário privado no Brasil produz tantos diplomas e tão pouco saber.

Mesmo vivendo hoje à mingua, as instituições públicas ainda são 66 das 100 melhores e 43 das 50.

Quando a elite endinheirada do país vai acordar para a necessidade de financiar o ensino universitário?


Voltar


Comente sobre essa publicação...