Semana On

Segunda-Feira 25.mai.2020

Ano VIII - Nº 394

Cultura e Entretenimento

Com atrações regionais e internacionais, Terceiro Festival do Chamamé prossegue até domingo

A programação gratuita acontece na Praça do Rádio

Postado em 10 de Outubro de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com atrações regionais e internacionais na música e dança, feira gastronômica e artesanato, prossegue até domingo (13) o Terceiro Festival Cultural do Chamamé de Mato Grosso do Sul. A programação gratuita acontece na Praça do Rádio.

Nesta sexta-feira, dia 11, às 19h30, acontece a Oficina de Música no Museu de Arte Contemporânea de MS (Marco), com o tema Chamamé (estilos e regiões). Nesta oficina serão estudados os quatro ritmos que compõem o folclore musical da província de Corrientes e suas influências: kangui, Kirei, Siriri. Ministram a oficina o maestro Cesar Frete, da Orquestra Folclórica de Corrientes – San Roque, Província de Corrientes, Argentina.

A dança também foi contemplada com uma oficina no Estúdio de Dança Ballet Isadora Duncan, no sábado, dia 12, com o tema Chamamé Jeroky Kara (o dono do baile): introdução e compreensão da dança e suas variantes. O ministrante convidado é o professor de danças folclóricas argentinas e tango Juan Carlos Godoy, natural de Corrientes.

No domingo, dia 13, a partir das 11 horas, acontece o Festival de Dança no Shopping Bosque dos Ipês, na Praça da Alimentação. E encerrando a programação, na Praça do Rádio, as apresentações de música começam às 15 horas, com artistas de Campo Grande e Fátima do Sul.

Outra atração é o “La Bailanta”, baile dançante na Associação Atlética Banco do Brasil. Os convites custam R$ 20,00 (vinte reais) antecipados, e no dia, R$ 25,00 (vinte e cinco reais).

O Terceiro Festival do Chamamé é uma realização do Instituto Cultural Chamamé MS, em parceria com o Governo do Estado, por meio da Fundação de Cultura de MS, com a Prefeitura Municipal de Campo Grande, e com o apoio da Rádio e TV Educativa de MS (Programa A Hora do Chamamé).

Em 2017, a pedido do Instituto Cultural Chamamé MS e por decisão do Conselho Estadual de Cultura de MS, o chamamé foi oficialmente declarado pela Fundação de Cultura de MS “Patrimônio Cultural Imaterial do Estado”, que após análise do processo que solicitou o registro deste gênero musical, tomou essa decisão. No Mercosul, o chamamé já foi declarado “Patrimônio Cultural do Mercosul” e está sendo postulado junto à Unesco o reconhecimento  como Patrimônio Cultural Imaterial da Humanidade.

“Em Corrientes, na Argentina, o nome da rua onde está instalado o ‘Parque Festival Del Chamamé’ é uma homenagem à nossa capital: Calle Campo Grande. Vamos retribuir esse gesto de amizade, trazendo para o nosso povo grandes expressões da música daquela querida cidade da Argentina”, diz o presidente do Instituto Cultural Chamamé MS, Orivaldo Mengual.

Segundo ele, Campo Grande possui uma grande diversidade de culturas do mundo que formam sua identidade e é reconhecida como a capital brasileira do chamamé. “O sistema de representação cultural do chamamé, além da polca, chamamé e guarânia, expressões de destaque da nossa cultura musical, inclui a dança de salão, o hábito de tomar o tereré e a degustação de iguarias como a sopa paraguaia e a chipa. Consumimos e distribuímos cultura que ultrapassa nossas fronteiras e é comum a outros países. O festival é um reconhecimento a tudo isso, um caminho que possibilita o intercâmbio entre profissionais campo-grandenses, sul-mato-grossenses, e dos países vizinhos”, finaliza Mengual.

Confira aqui a programação completa e participe!


Voltar


Comente sobre essa publicação...