Semana On

Sábado 05.dez.2020

Ano IX - Nº 422

Coluna

Megaprojeto da Hidrovia Paraná-Paraguai volta a ser articulado

Região do Pantanal seria a mais impactada com a transformação dos rios Paraná e Paraguai em um canal industrial de navegação.

Postado em 09 de Setembro de 2014 - Redação Semana On

O projeto engloba pesadas obras de engenharia, como, por exemplo, o derrocamento, dragagem e canalização estrutural em centenas de trechos ao longo de todo o sistema formado pelos 3.400 km dos dois rios. O projeto engloba pesadas obras de engenharia, como, por exemplo, o derrocamento, dragagem e canalização estrutural em centenas de trechos ao longo de todo o sistema formado pelos 3.400 km dos dois rios.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Originalmente concebido pelos cinco países da bacia do rio da Prata (Argentina, Bolívia, Paraguai, Uruguai e Brasil)na década de 1980, com o objetivo de transformar os rios Paraná e Paraguai em um canal industrial de navegação, permitindo a circulação de grandes comboios durante todo o ano e nas 24 horas do dia, o Megaprojeto da Hidrovia Paraná-Paraguai volta a ser articulado.

O projeto engloba pesadas obras de engenharia, como, por exemplo, o derrocamento, dragagem e canalização estrutural em centenas de trechos ao longo de todo o sistema formado pelos 3.400 km dos dois rios. O Pantanal, parte do sistema, seria a região mais impactada.

O projeto não prosperou nos últimos anos, principalmente pela reação contrária da sociedade. Mais recentemente, novas iniciativas governamentais surgiram nos marcos do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) e também no campo privado através de um fundo de investimentos (P2Brasil / HBSA), que conta com apoio do Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID). De parte do governo brasileiro foram realizados novos estudos, destinação de recursos e adequação da legislação para enquadramento das obras. Algumas obras obtiveram licenciamento como a construção de um canal de mais de quatro quilômetros.

Talvez os primeiros ruídos já possam ser ouvidos com as tentativas de expulsão de uma comunidade na região de um dos portos do Pantanal.

Conscientização

A ONG Ecoa monitora e atua frente ao megaprojeto desde que foi criada, em 1989. A organização entende que é necessário realizar ações de esclarecimento da população 

Neste intuito, acontece em novembro um evento sobre o Pantanal, onde se debaterão os principais problemas da região pantaneira, sendo a Hidrovia um dos temas centrais. O evento contará com a participação de várias instituições, dentre elas a Coordenação das Comunidades Tradicionais do Pantanal (CCTP).


Voltar


Comente sobre essa publicação...