Semana On

Quinta-Feira 21.nov.2019

Ano VIII - Nº 372

Mato Grosso do Sul

Três Lagoas ganha nova indústria, a primeira do MS a beneficiar fibra curta de celulose

Empresa vai investir R$ 190 milhões e tem previsão de gerar cerca de 200 empregos diretos após o início das operações

Postado em 20 de Setembro de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

O secretário de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, participou do lançamento da pedra fundamental da Unir Indústria e Comércio de Produtos de Higiene Ltda, mais uma indústria que se instala em Três Lagoas e a primeira no Estado a beneficiar a fibra curta de celulose para confecção de papel higiênico, toalhas e guardanapos de papel.

A empresa pertence ao grupo paulista Anin Papéis Especiais, do empresário Aurio Lima, que vai investir R$ 190 milhões e tem previsão de gerar cerca de 200 empregos diretos após o início das operações. Na fase de construção estima-se que trabalharão no projeto cerca de 500 pessoas. As obras devem começar antes do fim do ano e a previsão para iniciar as atividades no segundo semestre do ano que vem. A empresa projeta produção de 30 mil toneladas de papel tissue (para fins sanitários).

O empresário Aurio Lima destacou a agilidade e empenho da equipe da Semagro e o desprendimento do governo do Estado e da Prefeitura de Três Lagoas nas negociações que culminaram na escolha do local para instalação da fábrica. “O governador foi muito atencioso, recebeu nós no gabinete e abriu as portas para que a gente pudesse investir com segurança”. Em março passado, o empresário, acompanhado do superintendente de Indústria, Comércio e Serviços da Semagro, Bruno Gouveia, foi recebido pelo governador Reinaldo Azambuja, que conheceu e aprovou o projeto. “Eu me senti muito bem acolhido neste Estado e nesta cidade, vou retribuir com empregos e investimentos”, disse.

A Unir está contemplada no Programa de Desenvolvimento Industrial do Estado, sem o qual “não teria competitividade para investir aqui”, lembrou o secretário Jaime Verruck. “Quando a gente fala em 190, 200 milhões em investimentos, é um número importante, mas que só empresário entende. Agora, quando falamos na geração de 200 empregos, aí estamos falando com as pessoas. É a vida dessas pessoas que será impactada, o emprego, a renda, isso que se traduz de fato em desenvolvimento. É esse desenvolvimento que o governo incentiva”, disse Verruck.

O prefeito Ângelo Guerreiro também elogiou e parabenizou a iniciativa do empresário Aurio e comemorou a chegada de mais uma indústria no Parque Industrial de Três Lagoas, onde já trabalham cerca de 5 mil pessoas. A Prefeitura doou o terreno para instalação da fábrica, como forma de incentivo, medida que tem repetido com todos os novos empreendedores. “Isso aqui é uma avenida dos investidores”, citou o prefeito, referindo-se ao Parque Industrial da cidade que acaba de ganhar novo acesso asfaltado pelo governo do Estado, obra de R$ 2,9 milhões.

A celulose de fibra curta é produzida com árvores de fibra curta (como o eucalipto, o álamo, a bétula e a acácia) e é geralmente mais adequada para fabricar papéis de impressão e escrita revestidos e não-revestidos, papel de seda e papelão de embalagem revestido, além de ser o melhor tipo para a fabricação de papel tissue, o chamado papel para fins sanitários.


Voltar


Comente sobre essa publicação...