Semana On

Sábado 23.nov.2019

Ano VIII - Nº 373

Coluna

MDB decide disputar a Prefeitura da Capital, mas falta definir candidato

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 18 de Setembro de 2019 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Lideranças do MDB confirmam que a sigla voltará a disputar a Prefeitura de Campo Grande no ano que vem. Falta decidir quem será candidato. "Em reunião do diretório ficou definido, por unanimidade, que teremos candidato na Capital", disse o deputado estadual Márcio Fernandes, que voltou a colocar seu nome à disposição. "Se o partido quiser, estou pronto para a disputa, com o André sendo coordenador de campanha. Até já pedi isso para ele", contou. Indagado sobre outros nomes, Fernandes disse que, por enquanto, só ele se mostrou como pré-candidato, mas caso surja outra liderança competitiva estará pronto para ajudar. "Sou de grupo e faço política assim. Agora, se não tiver, quero todos comigo, firmes!". Comandada pelo ex-governador André Puccinelli, a reunião contou com dirigentes da sigla e vereadores da Capital.

Simone Tebet é eleita melhor senadora do ano pelos jurados

Simone Tebet (MDB) levou novamente o título de melhor senadora do ano do Prêmio Congresso em Foco. Peça fundamental na tramitação das reformas econômicas, já que é presidente da Comissão de Constituição e Justiça do Senado, Simone foi premiada pelo segundo ano consecutivo na categoria de “Melhores Senadores” pelo júri especializado. Ao receber o troféu, Simone destacou a importância do trabalho da imprensa livre e comprometida em meio ao debate das fake news. "Essa homenagem é uma homenagem ao bom jornalismo, que unido à boa política faz e pode fazer a diferença neste país. Sim, existem almas boas na política", disse. Ela também criticou o cenário de extremismo político.

'É um tapa na cara da população', dispara Simone contra projeto que facilita Caixa 2
A presidente da CCJ do Senado, Simone Tebet (MDB), rechaça o projeto que altera regras do fundo eleitoral, abrindo brecha para o caixa dois e praticamente impedindo a fiscalização desse crime, que o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), manobra para colocar em votação na Casa amanhã, diz O Antagonista. "Este é um projeto de partido, não de país. Votarmos de afogadilho, como meros carimbadores, um projeto que pode até aperfeiçoar a legislação eleitoral, que precisar ser aperfeiçoada, mas que traz no seu bojo inúmeros retrocessos, é, no mínimo, um tapa na cara da população brasileira", afirmou. Embora aceite discutir o texto, a senadora frisou que rejeitará dinheiro público pagando advogado de políticos e aumento do fundão, quando falta dinheiro para saúde, educação e segurança pública. Em áudio enviado à coluna, Simone reforçou: "É um tapa na cara da população brasileira, um descalabro, não sei se existe no mundo algo igual. (...) Isso dá sorte a qualquer tipo de corrupção", acrescentou.

'Temos a liberdade de discordar do Moro?' questiona Fábio Trad na Câmara

Ao comentar o protesto da deputada deputada Carla Zambelli (PSL-SP) que se retirou da reunião do grupo de trabalho da Câmara que analisa o pacote anticrime do ministro Sérgio Moro, afirmando que o projeto está sendo “desconfigurado” pelo colegiado, o deputado Fábio Trad (PSD) fez um desabafo dizendo que há dificuldade dos parlamentares em discordar do ministro da Justiça, pois haveria sempre um "açoite" da opinião pública. Trad disse que o ministro nem sempre está com a melhor "razão jurídica" e que os deputados se encontram em um dilema: "Temos a liberdade de discordar dele? Podemos fazê-lo? Porque caso contrário, nós vamos aqui, enquanto Parlamento, ficar sempre com aquele tição, quer dizer, com aquela ameaça: 'Faça sempre como o ministro Moro, caso contrário a opinião pública vai te açoitar'. E a independência do Parlamento fica comprometida". Veja o vídeo da TV Câmara reproduzido pela Coluna Estadão.

Fernandinho Beira-Mar em Campo Grande

O traficante Fernandinho Beira-Mar está de volta ao Presídio Federal de Campo Grande desde a noite anterior, transferido do Presídio Federal de Mossoró (RN). A mudança, conforme o Ministério da Justiça, faz parte do rodizio de presos federais que, por motivos de segurança, prevê permanência máxima de dois anos, com renovação de mais um ano, nas penitenciárias federais. Por esse mesmo sistema, Beira-Mar já ficou preso em Campo Grande de 2007 a 2010.

Governo vai economizar R$ 8 milhões por ano com 132 demissões voluntárias em MS

O Governo de Mato Grosso do Sul calcula que vai economizar R$ 617.291,00 mensais e R$ 8.209.968,00 por ano com a demissão de 132 servidores que aderiram ao Programa de Desligamento Voluntário (PDV), conforme os últimos editais publicados ontem. No total, foram 160 pedidos de demissão, mas 15 foram indeferidos, 11 canceladas e dois sobrestados. Embora baixo, o número de adesões ficou "dentro das expectativas" diante do atual cenário econômico nacional, disse o secretário de Administração e Desburocratização (SAD). "Com altas taxas de desemprego, o serviço público ainda é bastante atrativo", explicou Roberto Hashioka.

Nelsinho vai à Assembleia Geral da ONU

O senador Nelsinho Trad (PSD) vai representar o Congresso na Assembleia Geral da ONU em Nova Iorque, na comitiva do presidente Jair Bolsonaro. Na noite anterior, o presidente do Senado, Davi Alcolumbre (DEM-AP), anunciou o pedido do sul-mato-grossense para se licenciar do cargo no período de 22 a 25 deste mês. Detalhes da viagem não foram divulgados por questão de segurança. "Como presidente da Comissão de Relações Exteriores e Defesa Nacional do Senado, será uma honra participar dessa assembleia, de debate de alto nível, onde o Brasil já faz história", disse Nelsinho.

Bolsonaro poderá virar cidadão de MS

Jair Bolsonaro foi indicado pelo deputado estadual Coronel David (PSL) para que receba da Assembleia o Título de Cidadão Sul-mato-grossense. Apoiador de primeira hora do capitão, David lembra que Bolsonaro morou no estado de 1979 a 1981, quando serviu como segundo-tenente do Exército no município de Nioaque. O coronel disse que a proposta espera aprovação da CCJ para ir à votação em plenário.

Delcídio assumirá comando do PTB em ato com filiação da prefeita de Dourados

Com a presença do presidente nacional da sigla Roberto Jefferson, o deputado estadual Neno Razuk passará no sábado (21), em ato político em Campo Grande, a presidência estadual do partido para o ex-senador Delcídio do Amaral. No evento a ser realizado a partir das 9h na Câmara da Capital, a prefeita de Dourados Délia Razuk, que está sem partido, vai se filiar ao PTB.

Governador e bancada querem apoio federal para agilizar a Rota Bioceânica

O governador Reinaldo Azambuja e a bancada federal de MS vão pedir ao ministro Tarcísio de Freitas (Infraestrutura), agilidade nos estudos técnicos sobre questões aduaneiras, necessários para viabilizar a Rota Biocêanica rodoviária e ferroviária, que vai ligar Mato Grosso do Sul aos portos do Chile. A decisão foi tomada hoje em Brasília, em reunião com João Carlos Parkinson de Castro, do Ministério das Relações Exteriores, que explicou as dificuldades sobre o projeto. O objetivo, conforme Azambuja, é obter apoio do ministro Tarcísio para os estudos de viabilidade da rota, custos, precificação, questão alfandegária e competividade da rota. "Temos de discutir a questão da alfândega, a segurança pública, como vai ser a questão de aduana, se vai lacrar uma carga no Oceano Pacífico e vai abrir no estado importador ou na exportação", afirmou.

OAB reclama ao CNJ sobre abordagem a advogados em sedes do Judiciário de MS

Após reclamação da OAB-MS sobre a abordagem de seguranças ao ingresso de advogados em sedes do Judiciário de Mato Grosso do Sul, a conselheira do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), Iracema Vale, relatora do caso, deu prazo de cinco dias para que o Tribunal de Justiça (TJMS) se manifeste sobre o assunto. Conforme a OAB, em caso recente um advogado foi impedido de entrar no Fórum Central de Campo Grande por causa do aparelho de celular e reclamações semelhantes têm sido recorrentes, como submissão ao detector de metais, inclusive de gestantes, tratamento considerado incompatível a advocacia. Caso o TJMS não cumpra as adequações, pode haver suspensão do contrato com a empresa de segurança até a decisão final do conselho.

Tereza atuou contra boicote da Nestlé

Tereza Cristina "apagou um incêndio com potencial para provocar prejuízos intercontinentais", diz Lauro Jardim em blog no O Globo. No auge da repercussão internacional sobre as queimadas na Amazônia há duas semanas, a ministra da Agricultura soube que a Nestlé cogitava suspender a compra de carne e cacau brasileiros, e telefonou à cúpula da empresa no Brasil para que apelassem à matriz na Suíça de forma a evitar a fuga de investimentos, sob argumento de que seus fornecedores não haviam sido atingidos pelo fogo, informa o colunista.

Três deputados de Mato Grosso do Sul apoiam criação de CPI da Vaza Jato

Três dos oito deputados federais de Mato Grosso do Sul – Dagoberto Nogueira (PDT), Fábio Trad (PSD) e Vander Loubet (PT) – estão entre os 175 que assinaram o pedido da deputada Jandira Feghali (PCdoB-RJ) para criar o que ela chama de "CPI da Vaza Jato" visando investigar supostas ilegalidades do ex-juiz Sérgio Moro, pelo procurador Deltal Dallagnol e por demais integrantes da força-tarefa da Lava Jato em Curitiba durante a operação, com base nas mensagens roubadas por hacker e divulgadas pelo site The Intercept. As assinaturas foram validadas na sexta-feira pela Mesa da Casa. Deputados contrários à CPI dizem que a intenção da oposição é tentar anular condenações da Lava Jato. O deputado Capitão Augusto (PP-SP) disse ao site Congresso em Foco que já convenceu sete colegas a retirar suas assinaturas. Caso isso se confirme, o pedido ficaria com menos que as 171 assinaturas necessárias e não poderá avançar.


Voltar


Comente sobre essa publicação...