Semana On

Sexta-Feira 18.out.2019

Ano VIII - Nº 367

Comportamento

Por que as críticas podem se tornar um hábito tóxico em seu relacionamento

Problemas de comunicação podem afastar os parceiros

Postado em 17 de Setembro de 2019 - Kelsey Borresen - HuffPost US

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Fazer críticas o tempo todo pode acabar minando um relacionamento – e não estamos exagerando. O excesso de críticas é tão perigoso que o especialista John Gottman as identificou como um dos principais gatilhos para o divórcio – apesar de elas também serem potencialmente danosas para quem não é casado.

É claro que não estamos sugerindo que você baixe a cabeça e aceite todas as características e comportamentos do seu parceiro que te incomodam sem dizer nenhuma palavra. Inevitavelmente haverá críticas. Mas o importante é saber como comunicá-las.

“Não podemos expressar nossas críticas como se fossem falhas de caráter do outro”, diz ao HuffPost Zach Brittle, terapeuta de casais de Seattle e apresentador do podcast “Marriage Therapy Radio”. 

Um dos parceiros pode dizer “Ai, você sempre deixa as louças sujas na pia. Você é um porco”, quando na verdade poderia dizer “Ei, estou incomodado com essas louças sujas empilhadas na pia. Você pode me ajudar a arrumar antes de eu começar a fazer o jantar?”.

As pessoas recorrem às críticas como uma maneira de se proteger, diz o coach de relacionamentos Kyle Benson. Atacar ou culpar seu parceiro exige menos vulnerabilidade que revelar o que você quer dele. 

“É muito mais fácil dar uma alfinetada no parceiro, dizendo que ele é que tem problemas, do que baixar a guarda e dizer: ‘Minhas necessidades também são importantes’”, escreve Benson.

Pedimos que terapeutas explicassem por que as críticas podem ser tão destrutivas nos relacionamentos e como comunicar-se de maneira mais saudável e produtiva.

A diferença entre reclamações e críticas

Se você quiser saber se está fazendo uma crítica construtiva ou simplesmente reclamando do parceiro, pense na linguagem que está usando. As reclamações normalmente vêm na forma de frases que começam com “você sempre” ou “você nunca”. 

“Feedback saudável tem a ver com o comportamento, não com a pessoa”, diz Kurt Smith, terapeuta. “Podemos dizer para a parceira o que pensamos ou o que sentimos sem criticá-la como pessoa.” 

Então, se estiver usando palavras duras ou fazendo ataques, provavelmente estamos no terreno das reclamações.

“Quando os comentários incluem palavrões ou termos depreciativos, as mensagem perdem o valor, e o feedback, o sentido”, afirma Smith. “Críticas muitas vezes são ignoradas porque são transmitidas na forma de mensagens inadequadas.”

Como as críticas prejudicam o relacionamento

Nosso lado crítico tende a aparecer em momentos de estresse ou frustração, um hábito difícil de superar. Mas saber o efeito que ele tem sobre o outro pode ajudar a mudar. 

Elas minam a autoestima do parceiro.

Quem já foi alvo de críticas sabe que as palavras machucam. Críticas repetidas podem abalar a confiança do parceiro e fazê-lo duvidar da própria capacidade de fazer as coisas direito.

“Podemos questionar nosso valor, especialmente quando as críticas vêm de alguém que supostamente nos ama”, afirma Smith. “Como essa pessoa se importa conosco, o que ela diz deve ser verdade.” 

Elas minam a confiança. 

“Críticas frequentes parecem uma traição”, diz Steve Stosny, psicólogo de Washington. “Elas violam a promessa implícita feita na união, de que a pessoa que você ama vai se preocupar com seus sentimentos e jamais vai te magoar intencionalmente.” 

Elas destroem a intimidade.

Com o tempo, as críticas aumentam a distância entre você e seu parceiro. Os sentimentos positivos vão diminuindo e são substituídos por ressentimento e hostilidade.

“A maioria das pessoas não lida bem com críticas”, afirma Smith. “É compreensível, pois nos sentimos menos amados e menos próximos do parceiro.”

Criticar é expressar uma reclamação como uma falha de caráter do outro.Zach Brittle, terapeuta de casais

Elas menosprezam o parceiro e te fazem se sentir superior.

“A crítica tira o valor e implica que quem a faz é mais inteligente, mais habilidoso, mais moral ou superior”, afirma Stosny.

Elas não são eficazes para mudar o comportamento do parceiro.

Em vez de incentivar o parceiro a transformar seus comportamentos, as críticas o colocam na defensiva. Quando o parceiro se sente atacado, ele não ouve o que você está tentando dizer.

Observe que, quando as críticas são constantes, elas podem ser uma forma de abuso emocional. 

Um parceiro emocionalmente abusivo pode usar críticas como uma tática (entre várias outras) para exercer controle no relacionamento; eles colocam o parceiro para baixo a fim de ressaltar uma suposta superioridade. 

Mas é claro que nem todas as pessoas que criticam os parceiros são emocionalmente abusivas. Quando você chama o parceiro de preguiçoso porque ele preferiu ficar vendo TV em vez de limpar o banheiro, como tinha prometido, provavelmente foi um pedido de ajuda com as tarefas domésticas – não uma tentativa de humilhá-lo. Todo mundo fica frustrado às vezes. 

Mas críticas e rompantes frequentes (por causa das roupas que ela usa, da falta de libido, da sensibilidade do trabalho, da família, dos amigos ou da personalidade dele) podem ser sinais de abuso emocional.

Então qual é a receita da comunicação ideal?

Pedir para alguém “parar de ser crítico” parece fácil – mas não é. Veja como se expressar de maneira mais amorosa e afetuosa no relacionamento, segundo os terapeutas. 

Foque no que você quer do parceiro, não no que você não quer.

Seja respeitoso ao apresentar suas demandas. Em vez de acusar o outro de ser descuidado por perder o prazo de pagamento de uma conta, Stosny sugere dizer algo como: “Estou um pouco preocupado com as contas. Será que a gente pode sentar e estudar o que está entrando e saindo da conta? Sei que você está ocupado, mas quando seria uma boa hora para conversar?”

Use um roteiro

Essa técnica tem o selo de aprovação de Gottman. Comece a conversa com a seguinte frase: “Sinto ________ em relação a ___________, e preciso de ____________”.

“É importante preencher a primeira lacuna com um sentimento real”, diz Brittle.

Pense como você pediria algo a alguém que admira e respeita. É assim que você deveria fazer pedidos a respeito do comportamento do seu parceiro.Steve Stosny, psicólogo

Use a frase “Eu gostaria”

Em vez de dizer: “Você não ajuda em nada, nunca vai buscar as crianças na natação”, experimente algo como: “Eu gostaria que você ajudasse a diminuir minha carga, buscando as crianças na natação duas vezes por semana”.

“Sua crítica é um desejo disfarçado”, escreveu Brittle. “É uma expressão negativa de uma necessidade real. E se você assumisse a responsabilidade pelas coisas que deseja no relacionamento? E se você assumisse esses desejos e se comprometesse a articulá-los como algo positivo?”

Um conselho para ambos

Se é você quem faz as críticas no relacionamento, saiba que as pessoas mais críticas também são as mais autocríticas. Você pode nem dar-se conta de que é supercrítico com o parceiro, porque está acostumado a falar consigo mesmo desse jeito.

“Você diz algo automaticamente crítico para si mesmo quando comete um erro? Tipo: ‘Você sempre faz isso’?”

Tente este exercício sugerido por Stosny: escreva num papel todas as críticas que você fez para seu parceiro e as leia em voz alta, gravando sua própria voz. Depois, ouça a gravação e veja como elas soam de outra perspectiva – você pode ficar surpreso.

“E, finalmente, pense como você pediria algo a alguém que admira e respeita”, diz Stosny. “É assim que você deveria fazer pedidos a respeito do comportamento do seu parceiro.”

Se você é o alvo das críticas, é compreensível que as palavras duras do seu parceiro te afetem. Você não precisa minimizar a mágoa que sente – seus sentimentos são justificados, afirma Smith.

Quando sentir-se atacado, a tentação pode ser a de reagir na mesma moeda. Mas evite fazer isso.

“Não reaja sendo você também crítico”, diz Stosny. “Considere as críticas do seu parceiro como uma incapacidade de se autorregular.”

Não é fácil no calor do momento, mas respire fundo antes de entrar em modo defensivo. Você pode entender as demandas que o parceiro estava tentando expressar.

“Se conseguir retardar a entrada em ação desse modo defensivo, pergunte ao parceiro qual é a demanda dele”, afirma Brittle. “Quanto mais cedo entender o desejo, mais cedo você vai resolver os problemas do relacionamento.”


Voltar


Comente sobre essa publicação...