Semana On

Quinta-Feira 14.nov.2019

Ano VIII - Nº 371

Campo Grande

Prefeitura entrega a primeira etapa dos pontos de ônibus cobertos para o transporte coletivo

Plano é entregar ao todo 712 novos abrigos por toda a cidade

Postado em 22 de Agosto de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Para melhorar a qualidade de vida dos usuários do transporte público, a Prefeitura de Campo Grande vai entregar ao todo 712 novos abrigos por toda a cidade. No último dia 21, o prefeito Marquinhos Trad entregou a primeira etapa, com 100 novos abrigos.

“Tiramos da gaveta o projeto da mobilidade urbana emperrado há quatro anos. Vamos implantar corredores exclusivos para os ônibus na Brilhante, Bandeirantes, Bahia, Rui Barbosa, com estações de pré-embarque. Isto vai reduzir o tempo das viagens. Até o término da gestão, teremos instalado mais de 700 abrigos de ônibus. Depois de 25 anos, todos os terminais serão reformados, um investimento de mais de R$ 5 milhões. Estamos exigindo das empresas a renovação da frota. Temos feito o  possível para melhorar o transporte coletivo da cidade”, pontuou Marquinhos.

Os primeiros abrigos foram trocados ainda em 2017. No ano, foram implantados 212 novos. Paralelo a isso, a Prefeitura buscou um recurso já existente e conseguiu o investimento de R$ 2,1 milhões para a troca de mais 500 abrigos. A primeira etapa conta com a troca de 100. A segunda, também de 100, será entregue daqui dois meses e assim até completar as cinco etapas, totalizando 712 novos abrigos na cidade.

“Quando nós assumimos o município, em 2017, o prefeito nos chamou e falou que o transporte estava muito ruim e que os usuários estavam reclamando muito e com razão. Então, nós começamos a trabalhar duro e hoje estamos colhendo os frutos. Ao final, será o prefeito que mais colocou abrigos na cidade em um único mandato”, contou o diretor-presidente da Agência Municipal de Transporte e Trânsito (Agetran), Janine Bruno.

Os abrigos ainda atendem toda a exigência da Caixa Econômica Federal sobre acessibilidade, com lugar para cadeirantes e bancos. Usuária do transporte público, a aposentada Dirce Ozório, 64 anos, comemorou.

“Eu tentava chegar sempre junto com o ônibus para não precisar ficar esperando muito tempo dependendo de ponto, porque era chuva e era sol e a gente ali sem proteção. Com certeza vai trazer um conforto maior para quem depende do ônibus”, avaliou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...