Semana On

Quinta-Feira 14.nov.2019

Ano VIII - Nº 371

Legislativo

Frente de combate à depressão e ao suicídio será lançada em agosto na ALMS

MS tem nove mortes por suicídio em cada 100 mil habitantes, o que coloca o Estado em terceiro no ranking nacional com as maiores taxas dessa mortalidade desde 2015

Postado em 31 de Julho de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Frente Parlamentar em Defesa da Saúde Mental e Combate à Depressão e ao Suicídio será lançada no mês de agosto na Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul. Coordenada pelo deputado estadual Marçal Filho (PSDB), a frente terá como ferramenta o fortalecimento das políticas públicas em defesa da saúde mental. "Vamos criar um amplo debate em todo o Estado para buscar mecanismos principalmente de combate à depressão e ao suicídio", diz Marçal Filho.

O deputado chama a atenção para a importância de o Estado criar orçamento específico para enfrentar esta questão, assim como ocorre com outros problemas de saúde pública, a exemplo da dengue. Outro ponto é enfrentar o tabu. “Temos que fazer com que a sociedade sul-mato-grossense fale sobre suicídio, a depressão, mas que fale de uma maneira correta”, afirmou o parlamentar.

Conforme o Ministério da Saúde, Mato Grosso do Sul tem nove mortes por suicídio em cada 100 mil habitantes, o que coloca o Estado em terceiro no ranking nacional com as maiores taxas dessa mortalidade desde 2015. Diante dos números preocupantes e que também assolam o País, foi implementado em abril o comitê estadual para atuar na prevenção dos atentados que as pessoas cometem contra a própria vida. A Frente Parlamentar da Assembleia, segundo Marçal Filho, vai ser parceira para levar ações e propor soluções para esse caso na Capital e no interior.

A Frente parlamentar também vai atuar no combate a depressão, doença que, até 2020, conforme a Organização Mundial de Saúde (OMS) será a mais incapacitante do planeta. Somente em Mato Grosso do Sul, a depressão e a ansiedade geraram 3.037 pedidos de afastamento do trabalho em 2018, junto ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS). O número é 24,41% maior do que em 2017, quando 2.441 pessoas pediram para serem afastadas do trabalho pelos transtornos.

Projeto de Lei

Para fortalecer a causa, tramita na Assembleia Legislativa Projeto de Lei de Marçal Filho que institui a “Campanha permanente de informação, prevenção e combate à depressão” em Mato Grosso do Sul. A proposta busca manter de forma constante e ativa as ações de combate à doença. Segundo a OMS, mais de 350 milhões de pessoas sofrem com transtornos em todo o mundo.

“É uma doença silenciosa e que afeta pessoas de todas as idades. Muitos não buscam ajuda, sofrem calados e por se tratar de um problema que se agrava aos poucos, o diagnóstico pode vir em um quadro já avançado, o que torna o tratamento mais complexo. Por isso, é preciso que a campanha seja permanente", explicou o parlamentar.

Os objetivos da proposta são ampliar a informação e o conhecimento sobre a depressão, suas causas, sintomas, os meios de prevenção e de tratamento, além de incentivar a busca pelo diagnóstico e tratamento dos pacientes e combater o preconceito que cerca à depressão.


Voltar


Comente sobre essa publicação...