Semana On

Quinta-Feira 12.dez.2019

Ano VIII - Nº 374

Campo Grande

Prefeitura vai reformar 12 pontes na zona rural

Campo Grande tem uma malha viária rural de aproximadamente 2 mil quilômetros para manter, com 85 pontes em todo o perímetro

Postado em 30 de Julho de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Prefeitura de Campo Grande vai reformar ou reconstruir 12 pontes de madeira na zona rural, que estão em situação precária. São pontes de estradas vicinais estratégicas no escoamento da produção agrícola e pecuária, acesso a lotes dos assentamentos Nova Era (sobre o Córrego Varjão); São Luiz e Universal (no Córrego Ribeirão das Botas).

As empresas que forem participar da licitação terão até o dia 29 de agosto para apresentar propostas.  Foram divididas em seis lotes, abrangendo desde pontes com 6 metros de vão (como a sobre o Córrego Ribeirão das Botas, na CG-060) até uma de 60 metros no Rio Anhandui, na vicinal CG-284.

Estão previstas reformas de pontes sobre os córregos Guariroba; Rondinha; Ceroula (na região do Inferninho com 10 metros de vão); Mimoso; Ribeirão da Areia; Liso; Ribeirão Estaca; Varjão e Ribeirão da Cachoeira.

A definição dos projetos, equipes da Secretaria Municipal de Infraestrutura e Serviços fizeram um levantamento fotográfico de todas as pontes, com a indicação do tipo de intervenção que será preciso fazer em cada uma delas.

Em algumas pontes, será preciso trocar o assoalho; em outras, as vigas de sustentação precisam ser trocada ou foi previsto o reforço do aterro.  Um dos fatores de comprometimento das estruturas, segundo os engenheiros da SISEP, é que as pontes são projetadas para suportar 15 toneladas e muitas vezes, passam carretas sobre elas com até 40 toneladas de calcário.

Campo Grande tem uma malha viária rural de aproximadamente 2 mil quilômetros para manter, com 85 pontes em todo o perímetro. Já foram reformadas seis pontes (ao custo de R$ 496 mil) e estão sendo elaborados 15 projetos de pontes de concreto, mas a construção depende da captação de recursos federais.


Voltar


Comente sobre essa publicação...