Semana On

Quinta-Feira 27.jun.2019

Ano VII - Nº 356

Coluna

Passeata marca ato contra nova Previdência em Campo Grande

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 12 de Junho de 2019 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Aproximadamente 45 mil pessoas começaram o dia sem ônibus em Campo Grande, conforme o consórcio das empresas, com adesão de motoristas aos protestos nacionais contra a reforma da Previdência convocados por partidos de oposição como o PT e centrais sindicais. A saída dos ônibus das garagens que acontece às 4h foi atrasada por mais de 3h pelos motoristas e os veículos só começaram a circular por volta das 7h30, fazendo muita gente chegar atrasada ao trabalho. Com cartazes com fotos de deputados e senadores da bancada federal de Mato Grosso do Sul, sindicalistas e filiados cobraram 'não' à reforma em passeada nas ruas centrais da cidade. Entidades como a CUT-MS, a Fetems e sindicatos de servidores da UFMS estimam que 20 mil pessoas devem participar dos atos durante o dia na Capital.

Veja quem são os parlamentares de MS na lista dos mais influentes do Congresso

Dois parlamentares de Mato Grosso do Sul – a senadora Simone Tebet (MDB) e o deputado federal Fábio Trad (PSD) – estão na lista dos "Cabeças do Congresso" de 2019, que aponta os 100 mais influentes no Congresso. Outros dois sul-mato-grossenses – o senador Nelsinho Trad (PSD) e o deputado Beto Pereira (PSDB) – estão entre os 50 parlamentares em ascensão. Elaborado pelo Departamento Intersindical de Assessoria Parlamentar (Diap), o levantamento adota critérios qualitativos e quantitativos, que incluem aspectos institucionais, capacidade de negociação e liderança. Com base nesses critérios, o Diap entrevista parlamentares, assessores legislativos, cientistas políticos e jornalistas e avalia projetos, discursos, votações, relatorias, intervenções nos debates, frequência de citações na imprensa, análise dos perfis e grupos de atuação. Veja aqui a lista completa dos 100 'cabeças' e dos 50 em ascensão divulgada neste domingo pelo site do Correio Braziliense.

Simone rejeita liberar armas por decreto e diz que votará contra a medida

A senadora Simone Tebet (MDB-MS) disse ao Midiamax que vai votar contra o decreto de Jair Bolsonaro que flexibiliza as normas para posse e porte de armas no Brasil. Derrubada por quinze votos a nove ontem na CCJ, presididida por Simone, a proposta do presidente deve ser votada em plenário do Senado na próxima terça-feira. Ao site de Campo Grande, Simone afirmou que votará pela inconstitucionalidade do decreto. "Não se muda lei por decreto", afirmou. Aqui ao Blog hoje, a assessoria de Simone disse que a senadora "não está discutindo mérito, está discutindo que porte de armas tinha que ser votado pelo Congresso, com quase 600 representantes da sociedade, e não apenas pelo presidente da República".

Governo poderá usar milhagens aéreas no setor de saúde em Mato Grosso do Sul

Projeto que cria o programa "Milhas da Saúde" na administração pública direta e indireta de Mato Grosso do Sul foi apresentado hoje na Assembleia pelo deputado estadual Márcio Fernandes (MDB). A ideia é aproveitar prêmios e créditos em milhagens obtidos por servidores ou particulares em passagens aéreas compradas com recursos públicos para atender com transporte aéreo pacientes em tratamento médico e seus acompanhantes. Conforme o deputado, a adesão será voluntária: a pessoa cede os benefícios para um banco de milhas a ser criado pelo governo e administrado pela Secretaria de Saúde, caso o projeto seja aprovado. Fernandes defende que desta forma o Estado poderá, sem despesas adicionais, atender pessoas em tratamento de saúde sem condições de transporte. "Tendo em vista que o setor da saúde é essencial e carece de recursos, considero justo encaminhar milhagens de passagens aéreas para o setor", justificou.

Com Azambuja, PSDB fecha questão a favor da reforma da Previdência

O PSDB fechou questão hoje a favor da reforma da Previdência. Com isso, parlamentares que desobedecerem a posição do partido de votar pela aprovação da reforma poderão ser punidos e até expulsos da sigla. A decisão foi tomada em Brasília pela Executiva Nacional e a bancada do partido, incluindo o deputado Samuel Moreira (PSDB-SP), relator da PEC 06/2029, em reunião com participação de Reinaldo Azambuja (MS) e demais governadores tucanos que já haviam fechado questão. Ao lado de Azambuja, o novo presidente do PSDB, Bruno Araújo, anunciou que serão levados em consideração destaques que serão apresentados pelo relator, incluindo benefício de prestação continuada (BPC), aposentadoria rural, securitização e aposentadorias de professores e policiais.

Irmão de deputado do Rio vira secretário de deputado de Mato Grosso do Sul

O deputado federal Loester Trutis, o Tio Trutis (PSL-MS), contratou como secretário parlamentar em seu gabinete na Câmara o advogado Ramiro Laterça de Almeida, irmão do deputado federal Felício Laterça (PSL-RJ), em cargo de comissão com salário de R$ 8.046,00. Sobre a contratação publicada ontem no Diário Oficial da União. Conforme o site TopMídiaNews, de Campo Grande, Trutis afirmou que o secretário não foi indicação do colega de bancada e distribuiu currículos em todo o anexo 3 da Câmara, tendo formação em relações exteriores, o que, alega, vai contribuir com sua participação na Comissão de Relações Exteriores da Casa. "Acho tudo perfeitamente legal. O deputado Felício Laterça não está empregando ninguém da minha família no gabinete dele. Acho que [Ramiro] não pode ser penalizado pelo irmão dele ser um delegado da Polícia Federal e deputado federal", afirmou o parlamentar de MS.

Petistas de MS defendem Lula livre e nova eleição após conversas de Moro e Dallagnol

Deputados estaduais do PT de Mato Grosso do Sul defendem liberdade para Lula e anulação das eleições presidenciais, depois da divulgação de conversas de Sérgio Moro com o procurador da Lava Jato Deltan Dallagnol, da época em que o atual ministro da Justiça era juiz em Curitiba. "Depois das revelações bombásticas da trama Moro-Dallagnol, alguém tem dúvidas de que Lula é preso político?", escreveu no Twitter o deputado Pedro Kemp. Ao site Midiamax, de Campo Grande, o deputado Cabo Almi disse que as conversas revelam que houve uma interferência do Judiciário e do Ministério Público para impedir que Lula participasse das eleições em 2018. "“Acho que alguém deve entrar com pedido de impeachment desse Bolsonaro, de afastamento do Moro do Ministério da Justiça, para que de fato a gente continue em um país livre e soberano, em que a vontade democrática seja respeitada. O que não foi feito nas eleições passadas. E o Supremo tem que colocar o Lula em liberdade o mais rápido possível", afirmou Almi.

Recomendação para afastar Moro e Deltan é 'precipitada', diz presidente da OAB-MS

O presidente da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS), Mansour Karmouche, disse que considera precipitada a recomendação do Conselho Federal da OAB para que o ministro Sérgio Moro (Justiça) e o procurador da Lava Jato de Curitiba Daltan Dallagnol se afastem dos cargos, para que seja apurado o caso das conversas deles por celular que obtidas de forma ilegal e vazadas ontem pelo site Intercept. Embora a OAB nacional diga em nota (leia aqui) ter apoio das seccionais, Mansour afirmou entender "que essa deliberação é muito precipitada", pois "não considerou nenhum tipo de prova além daquelas que foram divulgadas na mídia, que a gente não sabe em qual contexto foram utilizadas, não viu nem avaliou esse tipo de conjunto probatório". "Eu acho muito precipitado qualquer tipo de pedido de afastamento, como foi feito. Eu aguardaria mais elucidação sobre esses fatos, muito embora não se negue que eles houveram, mas não se sabe exatamente em qual extensão está se tratando". Ouça as declarações de Mansour.

MPF investiga denúncia de irregularidades na construção de porto em Murtinho

O Ministério Público Federal (MPF) instaurou inquérito para apurar possíveis irregularidades na construção do terminal portuário fluvial Itahum Export Comércio de Cereais Ltda., no Rio Paraguai, em Porto Murtinho, fronteira de Mato Grosso do Sul com o Paraguai. Conforme o site do MPF-MS, a investigação apura denúncia de que a obra já estaria andamento sem exigência, pelo órgão ambiental de Mato Grosso do Sul (Imasul), de estudo e relatório de impacto ambiental (EIA/RIMA) e licença de instalação. Haveria ainda, conforme o MPF, indícios de devastação de vegetação em área de preservação permanente. O patrimônio arqueológico também estaria sob risco, havendo inclusive um documento do Instituto do Patrimônio Histórico e Artístico Nacional (Iphan) que classificaria o empreendimento como "Nível III, sendo necessária a elaboração do Projeto de Avaliação de Impacto ao Patrimônio Arqueológico” e posterior autorização do órgão


Voltar


Comente sobre essa publicação...