Semana On

Terça-Feira 20.ago.2019

Ano VII - Nº 359

Legislativo

ALMS passa por reformas para se tornar mais acessível a pessoas com deficiência

Intervenções vão facilitar o acesso e a participação política dos que frequentam a Casa

Postado em 04 de Junho de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

“Esta Casa, como sempre, está me acolhendo muito bem. Sofri um acidente doméstico e, infelizmente, estou nesta cadeira de rodas. Vim hoje aqui e encontrei algo que estou precisando muito: acessibilidade”, disse a funcionária pública aposentada Senilda Floriana Borges, 62 anos, depois de beber água em bebedouro destinado a cadeirantes. A instalação de bebedouros desse tipo integra-se ao conjunto de mudanças arquitetônicas pelas quais passa a Assembleia Legislativa de Mato Grosso do Sul (ALMS) para atender, com qualidade, às pessoas com necessidades especiais.

Senilda conhece bem a ALMS – ela esteve na ativa por 23 anos e, mesmo aposentada, ainda se sente ligada, afetivamente, à Casa de Leis. Com visão do antigo e do novo, Senilda elogia as transformações atuais no prédio. “Já na entrada, eu me deparei com um lugar muito especial, o que demonstra preocupação da Assembleia com todas as pessoas”, avalia, referindo-se, de modo específico, às rampas e corrimões de acessibilidade a cadeirantes. A atenção também se estende a deficientes visuais: há sinalização tátil, com informações, em Braille, quanto ao início e ao fim das rampas.

As mudanças, notadas por Senilda, são parte de amplo projeto, executado em conformidade às Normas Brasileiras 9050 (NBR 9050), da Associação Brasileira de Normas Técnicas (ABNT), elaboradas pela Comissão de Estudo de Acessibilidade em Edificações. À frente da execução do projeto, os servidores Neder Schabib Peres, arquiteto, e Renata Martins Macedo, engenheira civil, lotados na Secretaria de Infraestrutura da Assembleia, afirmam que as reformas terminam até o início do segundo semestre deste ano.

Pisos e escadaria

Renata e Neder informaram alguns detalhes do projeto, cuja execução foi intensificada neste ano. De acordo com eles, serão instalados pisos podotáteis dentro e fora da Assembleia. “São pisos em relevo que permitem melhor locomoção a deficientes visuais. Também haverá rota acessível, sem nenhum tipo de obstáculos no caminho, como placas e totens”, explicou Peres.

No total, são 772 metros de pisos podotáteis, sendo 152 dentro e 620 fora do prédio. Na parte interna, os pisos, a serem instalados no térreo, permitirão acesso ao Plenário Deputado Júlio Maia, ao Plenarinho Deputado Nelito Câmara, ao saguão e aos elevadores. Do lado de fora, ligarão a entrada da Assembleia ao estacionamento e ao ponto de ônibus. No estacionamento, já há seis vagas para deficientes e 13, para idosos.

Na escadaria, que fica na parte central da Assembleia, foram instaladas faixas de acessibilidade. Essas faixas possibilitam melhor visualização dos degraus, permitindo maior segurança ao usuário no fim da tarde e durante a noite, quando a luz natural é menor.

Bebedouros

Com relação aos bebedouros, estão sendo instalados dois conjuntos em conformidade às exigências da NBR 9050, como alturas adequadas, acionamento lateral e informações em Braille, medidas que facilitam o uso por cadeirantes, idosos, deficientes visuais e outras pessoas com mobilidade reduzida. No térreo, ficará um conjunto e no primeiro andar, o outro – cada conjunto tem dois bebedouros, de alturas diferentes.

Recepção, plenários e banheiros

Entre outras transformações em processo, está também um balcão com 75 centímetros de altura, instalado na recepção, para atendimento de pessoas em cadeira de rodas. Neder e Renata mencionam, ainda, que o Plenarinho passou por mudanças, tendo, agora, lugar reservado para cadeirantes no plenário e na mesa (espaço destinado às autoridades em cada evento). No Plenário Deputado Júlio Maia, foram instalados acentos para pessoas com necessidades especiais: são nove ao todo, seis no térreo e três, no piso superior. Com a reforma, também haverá mais quatro banheiros destinados a cadeirantes: em cada piso (térreo e primeiro andar), terá um masculino e um feminino.

 Casa do povo

O deputado Zé Teixeira (DEM), 1º secretário da Casa de Leis, enfatiza que o prédio, construído na época em que nascia Mato Grosso do Sul, precisa de mudanças, relativas à acessibilidade. “Esta Casa foi construída no período da divisão do Estado. Precisamos, então, adequá-la para atender as pessoas com necessidades especiais”, considerou. “Aqui é a Casa do povo. Então, ações como essas são imprescindíveis para que todos sejam bem recebidos”, acrescentou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...