Semana On

Quarta-Feira 13.nov.2019

Ano VIII - Nº 371

Coluna

Nelsinho Trad espera 'cavalo passar arreado' para virar governador em 2022

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 22 de Maio de 2019 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Nelsinho Trad (PSD) ainda sonha em virar governador de Mato Grosso do Sul. Indagado sobre eventual apoio a algum nome para a sucessão de Reinaldo Azambuja (PSDB) em 2022, o senador respondeu: – "Quando cavalo passa arreado na minha frente eu costumo montar."

E no mesmo trote, emendou: – "Se tem um sentimento que sou desprovido, é o medo. Como diz Santo Agostinho: 'de um jeito ou de outro posso temer, mas não tremo'”. A declaração foi dada ao site Midiamax durante visita de senadores e deputados federais ontem ao Comando Militar do Oeste, em Campo Grande.

A comitiva está nesta sexta-feira em Dourados e depois vai a Ponta Porã para conhecer, em unidades do Exército, detalhes sobre a implantação do Sistema Integrado de Monitoramento de Fronteira (Sisfron), à convite do CMO, que pediu apoio à bancada de MS para que inclua a segurança na região de fronteira como prioridade no Orçamento da União.

México amplia cota para compra de carne de frango do Brasil, diz Tereza Cristina

O México abriu uma cota de 55 mil toneladas de carne de frango com tarifa zero, acaba de anunciar pelo vídeo abaixo no Twitter a ministra da Agricultura, Tereza Cristina. A pasta, conforme a ministra, enviou ao governo chinês uma lista com nomes de 30 frigoríficos brasileiros indicados a exportar para a China. Atualmente, 16 exportadores brasileiros de carne bovina estão habilitados pela China, nove de carne suína e mais de 35 de aves.

Contra verbas do FCO para obras do governo de MS, Fiems busca apoio político

O presidente da Fiems, Sérgio Longen, criticou decisão de liberar até 30% do FCO para governos estaduais usarem em obras de infraestrutura, tomada na segunda-feira pelo Conselho Deliberativo da Sudeco, que depende de medida provisória do governo federal ser enviada ao Congresso para passar a valer. Longen afirma que, caso isso aconteça, além de prejudicar o setor privado, que gera empregos em Mato Grosso do Sul, vai aumentar o endividamento do Estado, e promete buscar apoio político para outras alternativas. "Na minha avaliação, quando houver recursos do Fundo Constitucional sobrando, como é o caso do Nordeste, onde são investidos cerca de 60% do Fundo, poderíamos pegar esses recursos restantes para serem destinados ao FDCO, com um rateio proporcional às três regiões: Nordeste, Norte e Centro-Oeste. Vou tentar levar ao senador Nelsinho Trad, junto com outros presidentes de federações, essa preocupação", afirmou o empresário.

PF investiga ex-candidata em MS

A Polícia Federal cumpriu, em Campo Grande, mandados de busca e apreensão expedidos pela 53ª Zona Eleitoral em investigação sobre supostas fraudes na prestação de contas sobre gastos de campanha por Gilsienny Arce Munhoz (PRB), que disputou uma cadeira de deputada estadual em Mato Grosso do Sul de M2018. Gilsy, como é conhecida, foi citada no início do ano como candidata "laranja" por ter recebido pouco mais de R$ 761 mil da sigla para disputar a eleição e ter obtido apenas 491 votos. Conforme o site Campo Grande News, fornecedores da campanha teriam confessado que emitiram notas à então candidata, ficaram com parte do dinheiro e devolviam outra parte.

Cinco dos oito deputados de MS votaram para Coaf ficar sob comando de Moro

Na votação da Câmara, que por 218 a 210 votos decidiu que o Coaf voltará para o Ministério da Economia, cinco dos oito deputados federais de Mato Grosso do Sul votaram sim para que o conselho de combate a fraudes financeiras e aos esquemas de lavagem de dinheiro ficasse vinculado do Ministério da Justiça comandado por Sérgio Moro: Dagoberto Nogueira (PDT), Luiz Ovando e Tio Trutis (ambos do PSL), Fábio Trad (PSD) e Rose Modesto (PSDB). Três deputados votaram não, ajudando o Coaf a voltar para o Ministério da Economia: Beto Pereira, Bia Cavassa (ambos do PSDB) e Vander Loubet (PT).

Com chapa única, PDT elegerá no dia 1º de junho novo diretório de Campo Grande

No comando interino da sigla desde o mês passado com a renúncia do vereador Odilon Júnior, o presidente do PDT de Campo Grande, Wilson Fernandes, marcou para o dia 1º de junho a convenção que vai eleger o novo diretório municipal que, em seguida, elegerá a comissão executiva, com mandato de dois anos, que comandará o partido nas eleições de 2020. A chapa única de consenso registrada hoje tem o advogado Yves Drosghic como presidente e Wilson Fernandes como vice. A convenção será das 8 às 12h na sede da sigla.

Janela partidária pode triplicar bancada do PSD de Marquinhos Trad na Câmara

Com dois vereadores, a bancada partido do PSD em Campo Grande deve dobrar ou até triplicar na Câmara até o prazo limite para filiações partidárias visando as eleições do ano que vem. São pelo menos cinco vereadores sondados para ingressar na sigla do prefeito Marquinhos Trad assim que for aberta uma "janela" para troca partidária sem risco de perder mandato. Além de Valdir Gomes (PP), Willian Maksoud (PMN) e Otávio Trad (PTB) que prestigiaram a convenção municipal do PSD, o líder do prefeito na Câmara, Chiquinho Telles, disse ao Blog que outros dois estão na mira. "Conversamos também com o Odilon (PDT), Jeremias (Avante). Vamos falando. Na política, que é muito dinâmica, cada dia é uma eternidade", disse o Chiquinho.


Voltar


Comente sobre essa publicação...