Semana On

Segunda-Feira 16.set.2019

Ano VIII - Nº 363

Coluna

Confiante na reeleição, Marquinhos Trad afirma: 'meu maior concorrente é Deus'

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 16 de Maio de 2019 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Confiante na reeleição em 2020, o prefeito Marquinhos Trad (PSD) declarou em agenda pública: "Sou candidato a reeleição. Ah, mas você é contra a reeleição, e é a favor. A regra me permite. Mas se eu pudesse mudar a regra, eu mudaria. O sistema legal que permite isso daí. Então, eu cumpro as leis, eu sou extremamente legalista. Pois bem, meu maior concorrente é Deus. Se Deus avalizar e aprovar as minhas atitudes, que nenhuma de vocês conhece, só Ele sabe, Ele vai me reconduzir. Se Ele falar pra mim: 'filho, eu tenho coisa melhor pra você, ainda que não seja esse seu desejo, lá na frente Eu vou te mostrar... Ele vai colocar outra pessoa." Sobre a aceitação de sua gestão, disse que anda "de cabeça erguida, em todos os lugares". Indagado sobre os protestos de ontem sobre o corte de verbas na educação, Marquinhos disse: "Eu não tomaria a decisão que ele [Jair Bolsonaro] tomou, como também não votaria como meu irmão [o senador Nelsinho Trad] votou no Coaf. Cada um tem uma maneira de pensar, tá? Eu votaria com o Sérgio Moro". Ouça abaixo.

TRF4 decide pela prisão de Bumlai

A 4ª Seção do Tribunal Regional Federal da 4ª Região (TRF-4) determinou a execução da pena do pecuarista José Carlos Bumlai, de Mato Grosso do Sul, do ex-tesoureiro do PT João Vaccari Neto e de Fernando Baiano, ao rejeitar hoje recursos das defesas dos condenados no processo sobre corrupção na obtenção de um empréstimo de R$ 12 milhões no banco Schain em 2004. Vaccari está preso desde abril de 2015, Baiano fez acordo de delação e cumpre pena em regime domiciliar, e Bumlai, em liberdade, deve voltar à prisão. O pecuarista intermediou o empréstimo em nome do PT. Em troca, a Schain Engenharia teria sido contratada em 2009 pela Petrobras para operar um navio-sonda, num negócio de US$ 1,5 bilhão. Conforme a investigação, o PT usou R$ 6 milhões para quitar dívidas do partido em Campinas e repassou a outra metade para o empresário Ronan Maria Pinto, que comprou o jornal "Diário do Grande ABC", em Santo André.

Projeto que obriga presos a bancarem suas despesas em presídios avança no Senado

Projeto de lei que obriga presos a pagarem por suas despesas na prisão foi aprovada na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado e segue para análise do plenário da Casa. A proposta de autoria do ex-senador Waldemir Moka (MDB-MS) altera a Lei de Execução Penal e prevê que se o preso não tiver recursos para arcar com o ressarcimento, "deverá valer-se do trabalho". A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS), relatora do texto, fixou desconto mensal de até um quarto da remuneração recebida. Caso o preso tenha dinheiro e não pague, será inscrito na dívida ativa da Fazenda Pública. No caso de preso que comprovadamente não tiver como pagar, a dívida poderá ser suspensa por cinco anos e, se a situação financeira do detento não mudar nesse período, a obrigação do pagamento é extinta, conforme o parecer de Soraya.

Crise esquenta e Evander vai disputar comando do Progressistas contra Bernal

A crise no Progressistas (ex-PP) de Mato Grosso do Sul esquentou após troca de ofensas via WhatsApp entre as lideranças e o deputado estadual Evander Vendramini já admite disputar a presidência regional do partido contra o atual presidente Alcides Bernal, cujo mandato vence em 19 de agosto.  "Vou conversar com os demais filiados e estudar a possibilidade de lançar uma chapa sim. Com ele no comando todos estão descontentes", disse Vendramini.

A briga interna via WhatsApp foi divulgada pelo Correio do Estado após o vereador Valdir Gomes, de Campo Grande, dizer ao jornal que vai registrar boletim de ocorrência contra o ex-prefeito Bernal por suposta ameaça. Em trechos de mensagens divulgados pelo jornal, Bernal chama correligionários de "ingratos", "oportunistas" e aproveitadores", pede a desfiliação de Valdir e Evander e afirma: "não me apareçam na minha frente, por favor, não me responsabilizo pelas minhas atitudes".

Ao jornal, Bernal disse que não quis ameaçar ninguém, mas não alisou: "Quando eu digo isso - porque fica pior e é triste - porque fala uma coisa na rede social e quando me encontra me abraça, me comprimenta. É muito hipócrita. Quando digo que não adianta cruzar o caminho dos progressistas é porque queremos gente do nosso lado e ‘não perca seu tempo querendo atrapalhar o projeto do progressistas’. Não dá para ficar alisando pessoas hipócritas", afirmou.

Bernal diz que Valdir está 'liberado' para deixar Progressistas e fala sobre Evander

Alcides Bernal afirmou que a crise acontece porque algumas lideranças estão comprometidas com candidaturas de outras siglas para 2020. O ex-prefeito de Campo Grande garantiu que o "querido" vereador Valdir Gomes, que já anunciou que espera a "janela partidária" para deixar a sigla, está "liberado" para sair e frisou que, de sua parte, o partido não vai pedir seu mandato.

Em relação ao deputado estadual Evander Vendramini, que diss cogitar disputar o comando da sigla, Bernal afirmou que "se o deputado Evander tem compromisso com o prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes", ele deve de trazer o prefeito para o Progresistas, ou acompanhá-lo "para onde ele se filiará". E explicou: "Marcelo Iunes está no PSDB, mas a gente sabe muito bem que a candidata desse partido se chama Bia Cavassa. É a candidata a prefeita do município de Corumbá".

Bernal acresentou que o Progresistas "está se fortalecendo e não vai ficar perdendo tempo com coisas que não agregam, e muito menos ficar permitindo que uma ou outra pessoa, que já tem aí projetos e vínculos com terceiros ou com partidos concorrentes venham querer atrapalhar". Ouça o áudio.

Em meio à crise no Progressistas, Bernal quer Evander candidato em Corumbá

Apesar dos desentendimentos no Progressistas (ex-PP) Bernal acredita que o deputado estadual é um nome forte para disputar a Prefeitura de Corumbá no ano que vem e pretende convencer o parlamentar a virar candidato. O ex-prefeito de Campo Grande argumenta que "o PSDB vai lançar a deputada federal Bia Cavassa" (viúva do ex-prefeito Ruiter Cunha) à prefeitura, o que deixaria o atual prefeito Marcelo Iunes, aliado de Evander, sem legenda. Para Bernal, Vendramini poderia convidar o prefeito a ingressar no Progresistas, mas entende que o deputado tem maior potencial para ser candidato. Há "bastante tempo para a gente conversar, dialogar e encontrar uma alternativa que contemple os interesses de Corumbá no que tange à pré-candidatura do deputado Evander, tudo tem seu tempo", afirma. Ouça o áudio.

Evander apoia Iunes em Corumbá e repete que pode disputar partido contra Bernal

Apesar do aceno de Alcides Bernal, que defendeu seu nome para disputar a Prefeitura de Corumbá, o deputado estadual Evander Vendramini descartou a ideia, disse que mantém seu apoio à reeleição do prefeito Marcelo Iunes (PSDB) e voltou a aquecer o clima de confronto interno, reforçando que pretende disputar o comando estadual do Progresistas sigla na convenção de agosto contra o ex-prefeito de Campo Grande que preside o partido. "Se eu sou deputado estadual hoje, é muito em função do trabalho, da dedicação e do companheirismo que o prefeito Marcelo Iunes devotou à minha candidatura. A única candidatura que eu posso disputar, neste ano, é a direção do partido Progresistas no estado de Mato Grosso do Sul", disse Evander. Ouça abaixo.

No aniversário de Azambuja, Bernal diz: 'Progressistas é parceiro do governador'

O presidente estadual do Progressistas, Alcides Bernal, visitou Reinaldo Azambuja (PSDB) para cumprimentar o tucano que completou 56 anos e reafirmou o apoio do partido ao governador. "O Progressistas é parceiro do Reinaldo Azambuja. Os deputados estaduais deverão apoiar as políticas públicas para Mato Grosso do Sul", disse o ex-prefeito de Campo Grande. Depois da reunião, que contou com a presença do presidente regional do PSDB, Sérgio de Paula, Bernal afirmou que os partidos poderão conversar sobre alianças nas majoritárias no interior nas eleições de 2020. Indagado sobre a Capital, onde Azambuja pretende apoiar a reeleição do prefeito Marquinhos Trad (PSDB), Bernal respondeu: "Em Campo Grande teremos candidato a prefeito, vice e vereadores". Para a cadeira de prefeito, não revelou nomes, mas adiantou: "Pode ser uma mulher".


Voltar


Comente sobre essa publicação...