Semana On

Quinta-Feira 24.out.2019

Ano VIII - Nº 368

Campo Grande

Símbolo de luta Comunidade Tia Eva completa 100 anos

A comunidade urbana é remanescente de quilombo desde 1905 e reconhecida pela Fundação Cultural Palmares

Postado em 15 de Maio de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Um século de força, afirmação de identidade e lutas pelas causas afrodescendentes, assim podemos definir a comunidade remanescente de quilombo São Benedito Tia Eva, de Campo Grande. Que iniciou as comemorações do seu centenário no último dia 10, com a realização da tradicional missa em estilo Afro, celebrada pelo padre Hermes Ferreira da Silva.

Além da missa, foi inaugurada a galeria de fotos dos ex-presidentes da Associação dos Descendentes da Tia Eva. O evento contou ainda com apresentações culturais e atração musical para encerrar a primeira noite de comemoração.

Na ocasião os Correios de Mato Grosso do Sul lançaram um selo comemorativo aos 100 anos da comunidade, lembrando que passado e presente andam juntos com um povo que tem orgulho da sua tradição. “O Selo comemorativo reforça nosso compromisso com a cultura e com o resgate da história regional, com ele marcamos a data de forma institucional, guardando na memória e no papel um pouco da história da Tia Eva”, ressalta o Superintendente Estadual de Operações dos Correios, Genivaldo Lacerda.

Segundo o presidente da Associação dos Descendentes da Tia Eva, Eurides Antonio da Silva, popularmente conhecido como ‘Bolinho’, o evento simboliza a tradição. “Nós estamos dando continuidade ao desejo da Tia Eva, que antes de falecer pediu a seus filhos que dessem continuidade a festa, e assim estamos fazendo até hoje. Sabemos que a luta é árdua, mas o amor e o legado da Tia Eva é muito mais importante”, afirma.

Com o intuito de impulsionar a construção de bases de igualdade no Mato Grosso do Sul, o Governo do Estado criou em dezembro de 2014, a Subsecretaria de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, proporcionando o acesso à políticas públicas da população negra, quilombolas, comunidades tradicionais de matriz africana de terreiros, ciganas, ou seja, a grupos afetados por discriminação e demais formas de intolerância.

“Lutamos diariamente pela igualdade de oportunidades, o povo negro se mobiliza a muito tempo, e essa comemoração é exemplo disso. Ninguém faz nada sozinho, por isso o Governo reafirma o seu compromisso com a primeira comunidade quilombola urbana de Campo Grande. Nosso papel é implantar medidas afirmativas que reduzem a desigualdade entre negros e brancos no Estado”, conclui a Subsecretária Estadual de Políticas Públicas para a Promoção da Igualdade Racial, Ana José Alves. As comemorações seguem até o dia 25 de maio com diversos eventos.

História

A comunidade negra Tia Eva é definida como uma comunidade urbana remanescente de quilombo desde 1905 e reconhecida pela Fundação Cultural Palmares. Tia Eva foi uma escrava antes de chegar a Mato Grosso, e trabalhou como lavadeira, parteira, cozinheira, curandeira e benzedeira.

Procurada por inúmeras pessoas, tornou-se referência na comunidade. Devota de São Benedito, fez uma promessa ao padroeiro para que curasse uma ferida que havia há anos em sua perna, que após muito tempo e, conforme sua crença, milagrosamente, foi curada. Para pagar a dádiva ao santo, construiu em 1912 a igreja em sua homenagem. Desde 1919, a Festa de São Benedito acontece anualmente. Atualmente aproximadamente 200 famílias de descendentes vivem na comunidade.


Voltar


Comente sobre essa publicação...