Semana On

Quinta-Feira 23.mai.2019

Ano VII - Nº 351

Campo Grande

Volume de 1 milhão de lâmpadas queimadas acumuladas ao longo de 10 anos ganham destinação correta

Trocas de lâmpadas fluorescentes nas unidades da Sesau por lâmpadas de LED tem sido realizada ao longo dos últimos dois anos

Postado em 19 de Abril de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Dar a destinação correta para as lâmpadas fluorescentes evita a contaminação do meio ambiente e à saúde humana, isso porque estes produtos contêm em seu interior um componente químico muito perigoso à saúde: o mercúrio, um metal pesado e tóxico.

Devido a troca de lâmpadas fluorescentes nas 145 unidades da Secretaria Municipal de Saúde (Sesau) nos últimos 10 anos, gerou-se um montante de aproximadamente 1 milhão destas lâmpadas. No último dia 17, após uma parceria celebrada com uma empresa de soluções ambientais, mais de 30 “big bags” (grandes sacolas de mil litros) do material foram retirados do local onde o volume estava armazenado e encaminhadas para reciclagem.

A Divisão de Resíduos Sólidos da Sesau identificou o problema e trabalhou para a celebração da parceria, como o intuído de solucionar o passivo acumulado. “Esta situação se arrastava ao longo de uma década e após esta parceria, conseguimos destinar corretamente esta grande quantidade de lâmpadas”, diz o coordenador do serviço, Marcos Carvalhal.

As trocas de lâmpadas fluorescentes nas unidades da Sesau por lâmpadas de LED (que são ecologicamente mais eficientes e recicláveis) tem sido realizada ao longo dos últimos dois anos, com o objetivo de diminuir o consumo de energia, aumentar a iluminação nos locais e não gerar resíduos que possam contaminar o meio ambiente.

A coordenadora da Vigilância Ambiental, Silvia do Carmo Barbosa, garante que a troca de lâmpadas fluorescentes por outras de maior eficiência e contém menor quantidades tóxicos, é menos perigosa ao meio ambiente.

“As fluorescentes contêm o pó fosfórico, mercúrio, alumínio e vidro, que são produtos que podem contaminar o solo e água, gerando enormes problemas ambientais. Nas lâmpadas de LED também há produtos nocivos, porém em menor quantidade. Mesmo assim, a Sesau está em processo de implantação do fluxo de descarte correto destas lâmpadas, respeitando a legislação por meio da responsabilidade compartilhada”, disse ela.

Para a superintende de Gestão do Cuidado, Alexandrea de Cássia de Souza Rosa, a “destinação correta destas lâmpadas mostra que a Sesau está preocupada com a questão ambiental, que tudo tem a ver com a relação de saúde da população”.

A Sesau seria a responsável por contratar uma empresa especializada na remoção e destinação das lâmpadas fluorescentes. Com a parceria celebrada, a Secretaria fica isenta desta despesa gerando economia aos cofres públicos, e a empresa de soluções ambientais assume a responsabilidade pelo processo de descarte correto, obedecendo a legislação.


Voltar


Comente sobre essa publicação...