Semana On

Domingo 16.jun.2019

Ano VII - Nº 355

Mato Grosso do Sul

O 3° estado com as maiores taxas de suicídio do país, MS ganha Comitê de prevenção

Em 2017, a taxa de suicídio em Mato Grosso do Sul era de nove mortes em cada 100 mil habitantes

Postado em 18 de Abril de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Despontando entre os seis estados do país com as maiores taxas de mortalidade por suicídio, Mato Grosso do Sul ganha mais uma ferramenta para o trabalho de prevenção. No último dia 16, o secretário de Estado de Saúde, Geraldo Resende, instituiu o Comitê Estadual de Prevenção ao Suicídio de Mato Grosso do Sul.

Em 2017, a taxa de suicídio em Mato Grosso do Sul era de nove mortes em cada 100 mil habitantes. Desde 2015 somos o 3° estado com as maiores taxas dessa mortalidade. 

Diante dos números preocupantes que assolam o país, também em outros locais, o Ministério da Saúde escolheu, em 2017, os seis estados (Mato Grosso do Sul, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Piauí, Paraná e Amazonas) com as maiores taxas de suicídio para que implementassem o Comitê e pudessem promover o desenvolvimento e a articulação de medidas destinadas a ampliação das ações de prevenção do suicídio e promoção da saúde mental, conforme detalha o regimento interno do Comitê.

Conforme explicou a gerente da Rede Psicossocial da Secretaria de Estado de Saúde (SES), Michelle Scarpin, instituir o Comitê era uma das atribuição dos seis estados escolhidos pelo Governo Federal. Antes da instituição do Comitê, cada uma das unidades federativas precisou desenvolver o “Projeto de Prevenção do Suicídio para Ações de Prevenção, Vigilância e Gestão do Cuidado”.  Com a aprovação do projeto, o próximo passo foi instituir o Comitê, explicou Michelle. 

“O Comitê irá monitorar, acompanhar e avaliar as ações desenvolvidas para prevenção do suicídio até o fim de 2019. Vamos criar novas estratégias de prevenção”. Segundo Michelle: “Agora, serão instituídos grupos de trabalho regionais que irão intensificar o debate, construir fluxos de atendimento e multiplicar a todos os profissionais as capacitações. Inicialmente serão 15 municípios”.


Voltar


Comente sobre essa publicação...