Semana On

Quarta-Feira 17.jul.2019

Ano VII - Nº 356

Campo Grande

Pedestrianização. Você sabe o que é isso?

Nova 14 de Julho segue tendência mundial de conforto a pedestres nos grandes centros

Postado em 18 de Abril de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Pedestrianização. Você sabe o que é isso? O termo pode parecer estranho, mas o significado é bem simples: devolver o acesso às ruas aos pedestres. Caminhando pela Rua 14 de Julho, ainda em obras, já é possível perceber que é exatamente esse conceito que o Programa Reviva Campo Grande quer trazer para a cidade. “A ideia é fazer o campo-grandense se apropriar da via, viver o Centro. Andar pela rua com tranquilidade e segurança, poder descansar nas ilhas de convívio enquanto faz as compras”, comenta a coordenadora do Reviva, Catiana Sabadin.

Em algumas cidades pelo mundo, essa proposta de “devolver” o espaço aos pedestres vem dando muito certo. É o caso de Nova York, onde várias avenidas, inclusive a Times Square, passaram pela pedestrianização. No local, transitam diariamente cerca de 400 mil pessoas e, desde que passou a ter mais espaço para andar, a via é constantemente fechada para eventos. Quando falamos em vantagens sobre a valorização do pedestre, saiba que as lesões causadas por acidentes de trânsito baixaram 33% e o número de estabelecimentos comerciais aumentou 180% nos últimos anos.

A Rua 14 de Julho também tem uma importância icônica para Campo Grande. O Reviva Campo Grande tem a proposta de criar espaços de qualidade para os transeuntes, promovendo o caráter de espaço público multifuncional.

Outra semelhança com o projeto de Nova York é o piso usado na avenida. Na requalificação da Rua 14 de Julho, o piso escolhido para dar charme à via foi o fulget. “O piso fulget é diferenciado de tudo o que temos em Campo Grande quando falamos em obras públicas. Ele é mais rústico e depende de menos manutenção”, explica o arquiteto da Unidade Gestora do Programa, Cristiano Almeida.

O comerciante Djalma Santos, da Beco Acessórios, está com duas lojas na Rua 14 de julho há dois anos. Ele aprovou o novo piso e está ansioso para a finalização da obra. “Você não tem desnível de calçada, calçada ampla, vai ser arborizado, ter lugar de descanso, totalmente pensado para o público. Isso só vai ser benéfico para a cidade. Eu tinha vergonha de mostrar o Centro da cidade para pessoas de outros estados. Quando vim escolher o ponto aqui, todo mundo dizia: mas cadê o centro de Campo Grande? Eu mostrei a Rua 14 de Julho e perguntavam, é aqui? Eu dizia: sim. Todo mundo via como era feio isso aqui, desorganizado, bagunçado. Agora, é outra coisa. Eu credito e aposto que isso vai ser muito bom. Quero colher o fruto disso aqui, se Deus quiser”, relatou.

Na 14 de Julho, entre as ruas Marechal Rondon e Maracaju, a empresária Samia Ali, da loja de moda infantil Patotinha, já está pensando na decoração de Natal, que com certeza, vai ajudar ainda mais nas vendas. “Está ficando bacana, já está trazendo o pessoal para o centro. Tá gostoso, a gente anda com mais tranquilidade, principalmente quem tem criança, de carrinho. Realmente, está ficando muito legal. Todos os meus clientes estão gostando bastante, passeando, sem ter pressa para ir embora. A gente quer fazer a 14 de Julho dar aquele ‘up’, porque está precisando”.

Aprovação popular

À medida que a obra vai tomando forma, a população começa a ver a requalificação com mais carinho, se apropriando realmente do espaço. A aposentada Carmelita Nunes da Silva anda sempre pela obra e já observou que existe uma atenção em todos os sentidos. “Fico sempre passeando por ali, observando o trabalho dos funcionários. Percebo que é tudo feito com muito carinho, uma responsabilidade com tudo. Eu acho que é muito valioso esse trabalho, me deu vontade de adquirir um imóvel por aqui”, declarou.

O professor Ronilço Guerreiro destaca a importância da obra para a economia da capital. “Vai pulsar o turismo, a cultura. A cidade precisa respirar modernidade. Sei que nesse momento está sendo desafiador para alguns comerciantes, mas como psicólogo, digo: tudo pra melhorar, tem que piorar antes. As pessoas vão entender que é para o bem da cidade. Eu estou imaginando a rua colorida, iluminada, com os fios subterrâneos, arborizada, segura. Vai ser bacana essa transformação”, avaliou.

Outro cidadão que aprova a requalificação da Rua 14 de Julho é o vendedor Magno da Silva, que está sempre percorrendo a via. “Está ficando bom. Acho que era uma reforma que estava precisando para dar uma nova cara para o Centro da cidade. Acredito que isso vai deixar o Centro mais bonito e os pedestres vão agradecer com mais espaço para caminhar”, opinou.


Voltar


Comente sobre essa publicação...