Semana On

Quinta-Feira 25.abr.2019

Ano VII - Nº 347

Governo

Campo Grande

Prefeitura inicia pavimentação do último trecho sem asfalto do macroanel rodoviário

Obra neste trecho ficou parada por mais um ano, até que fosse resolvida a desapropriação de faixas de três propriedades que estão no trajeto da rodovia

Postado em 17 de Abril de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A empreiteira responsável pela obra iniciou os 900 metros sem pavimentação do braço norte do macroanel rodoviário, ligação entre as saídas de Cuiabá e Rochedo. Desde a retomada das obras, em 2017, foram executados 6,5 quilômetros de pavimentação no trecho entre a MS-010 e a BR-163, completando os 12 quilômetros do trajeto.

O asfalto vai chegar na MS-010, completando o trajeto de 10 quilômetros, que começa logo após o Detran e termina na saída para Rochedinho. A obra neste trecho ficou parada por mais um ano, até que fosse resolvida a desapropriação de faixas de três propriedades que estão no trajeto da rodovia.

Concluída esta pavimentação, só vão ficar faltando as três rotatórias programadas no projeto. Duas delas, em rodovias estaduais, (MS-010 e MS- 080) estão em andamento com a terraplanagem e a previsão é de que estejam concluídas até agosto. O projeto da última rotatória está sendo analisado pela concessionária que administra a BR-163.

Em outubro de 2017, a Prefeitura retomou as obra do macroanel, após quatro anos de interrupção. Foi preciso concluir as últimas desapropriações e fazer a reprogramação do projeto, com suplementação de recursos, para incluir uma estrutura de drenagem num trecho onde foram identificadas duas nascentes.

No local, foram construídos dois colchões drenantes, com 220 metros de extensão e um metro de altura, gerando um custo adicional de R$ 1,6 milhão. Estes “colchões” garantem o escoamento de duas nascentes por dois drenos laterais, evitando que a água aflore, arrastando o aterro da pista

Pendências

Para que a obra do macroanel fosse retomada, a Prefeitura de Campo Grande resolveu várias pendências: prorrogou convênio que venceu em maio do ano passado; fez a reprogramação (com aval do DNIT) para inclusão de novas obras e concluiu as últimas desapropriações. Só no final de julho do ano passado foi homologado o acordo judicial para o pagamento das indenizações e, com isto, concluída a desapropriação das últimas duas áreas (uma de 1,2 hectare e outra de 6 hectares) com trechos no traçado do macroanel.


Voltar


Comente sobre essa publicação...