Semana On

Domingo 22.set.2019

Ano VIII - Nº 364

Campo Grande

Governo de MS e Tribunal de Justiça entregam 10ª escola reformada por presos

Economia ultrapassa R$ 7 milhões

Postado em 09 de Abril de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Alunos e professores da Escola Estadual Teotônio Vilela, em Campo Grande, estão felizes com a reforma completa do prédio em que ficam a maior parte do dia. Com R$ 789 mil de investimentos, Governo do Estado e Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul revitalizaram a unidade escolar por meio do projeto “Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade”.

O governador Reinaldo Azambuja entregou a obra e falou sobre o projeto. “É uma parceria inteligente, que usa mão de obra dos detentos para reformar escolas. Para cada três dias trabalhados, eles têm um dia de progressão de pena – podendo diminuir a pena total e ainda contribuir de forma positiva com a sociedade”, disse o governante.

Além de trabalhar na obra, o detento também paga o material de construção utilizado na reforma. Quem explica é o juiz da 2ª Vara de Execução Penal de Campo Grande e idealizador do projeto, Albino Coimbra Neto. “São descontados 10% dos salários de todos os presos que trabalham para aquisição do material de construção. Esse projeto melhora o sistema prisional e a educação pública”, afirmou.

Iniciado em 2018, o serviço na Escola Estadual Teotônio Vilela contemplou a reforma completa dos banheiros, pintura e fechamento de alambrado da quadra poliesportiva, colocação de piso de granilite, readequação da rede elétrica, modernização da iluminação com refletores de LED e manutenção da pintura geral da escola. Localizada na Universitária II, a escola foi fundada em 1985.

“Agora, temos uma escola melhor e de qualidade para os alunos e para a gente, que trabalha”, contou o diretor Adauto Júlio da Costa. “A partir do momento que houve essa reforma, a escola ficou um local mais agradável para trabalhar com projetos científicos”, falou a aluna Thailenny Dantas, que está no 3º ano do ensino médio e vai representar o Brasil em um feira de Ciências Biológicas.

Ao longo de cinco anos de existência, o “Pintando e Revitalizando a Educação com Liberdade” soma reconhecimento nacional com uma economia aos cofres públicos que já ultrapassa os R$ 7 milhões, beneficiando 8.834 alunos de 10 escolas. O projeto proporcionou a reforma de mais de 10% do total de escolas estaduais da Capital. Conforme o governador, há possibilidade de ampliar o projeto para o interior.


Voltar


Comente sobre essa publicação...