Semana On

Sexta-Feira 30.out.2020

Ano IX - Nº 416

Coluna

A humanidade e o tributo...

Ele nasceu na antiguidade e hoje ainda faz parte de nossas vidas.

Postado em 07 de Agosto de 2014 - Josceli Pereira

Os tributos fazem parte de nossas vidas há séculos. Os tributos fazem parte de nossas vidas há séculos.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Era uma vez...

Tudo começou bem lá atrás nos tempos mais remotos, em uma época conhecida por pré-história. Os seres humanos daquele período habitavam cavernas, resistiam contra as diversidades climáticas, enfrentando animais selvagens e reunidos em pequenos grupos lutavam para conseguir alimentos para sobreviver e, constantemente tinham que mudar para outros lugares, sendo identificados na história pelo nome de nômades. Estes seres dotados de inteligência acabavam por acumular conhecimento e aos poucos passaram a usar desta experiência para alterar seus hábitos. Observavam ser possível construir objetos para auxiliá-los nas atividades e passaram há ficar mais tempos em determinados lugares, pois conseguiram manter e domesticar animais e também logravam êxito no plantar, não necessitando assim percorrer outros lugares para arrumar o sustento.

Por força desta nova forma de agir passaram a dar mais valor à terra e as coisas ali encontradas. Necessária também era a defesa deste pedaço de chão contra àqueles que através da luta queriam tomar para si o que os demais construíram... o famoso objeto de cobiça e disputa, começavam  assim as guerras... os tempos da ambição e de batalhas. Surgiu neste momento uma prática que passou gerações: a prática de homenagear líderes e deuses, cujo presente passou a ser conhecido pelo nome de TRIBUTO. Nasceu assim o nosso personagem!

Os Reis passaram a exigir TRIBUTO para sustentar seus exércitos; foi então que o TRIBUTO deixou de ser presente e passou a ser obrigação. Quem vencia tinha direito a tudo e os derrotados eram escravizados.

Mas a parte romântica desta palavra nos dias de hoje fica apenas na poesia e na música: um “tributo” a Gonzaguinha; um “tributo” a Xiruzinho. TRIBUTO para a maioria das pessoas passou a representar algo muito representativo.

Surgiram as grandes civilizações como a egípcia, grega e romana. Este período é chamado de Antiguidade e vai da invenção da escrita, ocorrida, aproximadamente em 5000 a.C. até 476 d.C., ano que marcou o fim do império romano. Foram séculos de conflitos e guerras entre os povos da terra, em busca de mais e mais territórios, além de ampliar o poder.

Nessa fase da nossa história surgiram mais uns personagens: Os Reis. Eles passaram a exigir TRIBUTO para sustentar seus exércitos; foi então que o TRIBUTO deixou de ser presente e passou a ser obrigação. Quem vencia tinha direito a tudo e os derrotados eram escravizados.

Passados muitos anos nossa história prossegue...

A queda do império romano marcou o início da Idade Média, período da história que vai do ano 476 a 1453. O grande império foi dividido em vários pedaços de terras chamados de feudos. Perdeu-se completamente a noção de Estado na Europa medieval. Cada feudo possuía um senhor. Eram os chamados senhores feudais, os nobres. Por vocação e necessidade a maioria das pessoas vivia nos campos. Os camponeses, conhecidos por servos, eram obrigados a pagar TRIBUTOS aos senhores feudais.

Sem a existência de algum instrumento de troca (moeda), os servos geralmente pagavam os TRIBUTOS devidos ao senhor, entregando-lhes a melhor parte de suas colheitas. O servo estava preso à terra do senhor, sua liberdade era muito restrita. Os senhores de terra possuíam ainda direito de vida e de morte sobre os seus vassalos. Quem não pagasse o TRIBUTO devido podia ser preso ou morto.  A vida das pessoas estava voltada para atender às vontades e às necessidades dos senhores feudais. O povo vivia bem próximo da miséria.

Bem... Na próxima edição continuamos a contar como o nosso personagem (O TRIBUTO) conseguiu atravessar os tempos e a cada ciclo repetir a sua história...

Até a próxima edição!


Voltar


Comente sobre essa publicação...