Semana On

Quinta-Feira 25.abr.2019

Ano VII - Nº 347

Coluna

Marquinhos Trad avisa aos secretários: 'Quem quiser ser candidato vai sair'

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 04 de Abril de 2019 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Secretários e adjuntos da Prefeitura de Campo Grande que pretendem ser candidatos em 2020 devem deixar o cargo neste ano, avisou o prefeito Marquinhos Trad (PSD) em reunião com a equipe, quando apresentou os três novos secretários – José Mauro Castro (Saúde), Melissa Tamaciro (Cultura e Turismo) e Herbert de Freitas (Desenvolvimento Econômico e Ciência e Tecnologia). "Quem quiser ser candidato no ano que vem vai ter que sair esse ano", disse o prefeito no início da reunião aberta à imprensa. "E aqueles que querem usar a secretaria como trampolim para atingir objetivos individuais em dezembro que saiam. Porque senão eu vou tirar", acrescentou Trad.

'Bate e rebate' piora o clima no PDT de MS

O clima que já não era estável, piorou no PDT de Mato Grosso do Sul. Em entrevista ao site Midiamax, o juiz aposentado Odilon de Oliveira, que disputou o governo pelo partido em 2018, declarou que a presidência estadual sob comando de Dagoberto Nogueira "está um pouco fraca" e disse que vai avaliar sua "saída" ou não da sigla nos próximos três meses, o que dependerá, afirmou, de a direção se organizar melhor no estado. No Facebook, o advogado Yves Drosghic, que é secretário municipal e consultor jurídico da executiva estadual do PDT, reproduziu a notícia e rebateu as declarações do juiz afirmando que Odilon e o filho Odilon Júnior, que é presidente do diretório municipal, não comparecem à reuniões do partido. "Pior, quem não organiza o PDT de Campo Grande é justamente o vereador Odilon Jr, que simplesmente sumiu do partido e o deixou acéfalo", escreveu o advogado.

Para Simone, PEC do Orçamento é positiva para os estados e vai evitar 'toma lá da cá'

Para a presidente da CCJ do Senado, Simone Tebet (MDB-MS), a PEC do Orçamento Impositivo aprovada pela Casa ontem com substitutivo do senador Espiridião Amin (PP-SC), vai democratizar a distribuição de recursos aos estados, ajudando a reduzir desigualdades regionais e evitará o "toma lá dá cá" entre o Legislativo e o governo. "É um sonho de todos nós, termos um orçamento impositivo que atenda de forma igualitária todos os estados da Federação brasileira, dos mais ricos aos mais pobres, dos mais populosos aos menos populosos, dizendo que todos terão o mesmo valor de emenda de bancada, evitando o toma lá dá cá, o fisiologismo, a compra de voto, porque agora o governo federal vai ter que cumprir a determinação constitucional porque nós (a Câmara e o Senado) caminhamos unidos", disse Simone.

Governadores tucanos afinam discurso na defesa de interesses de SP e MS

Em São Paulo, onde visitou o estande de Mato Grosso do Sul na World Travel Market Latin America, uma das maiores feiras de turismo das américas, o governador Reinaldo Azambuja se reuniu com o colega João Doria. Os tucanos afinaram o discurso em torno da defesa de assuntos de interesses de MS e SP nas negociações com o governo federal. "É momento de alinharmos as impressões comuns aos dois estados, como o pacto federativo e a cessão onerosa do pré-sal", disse Azambuja. A partilha com estados de verbas obtidas com o leilão do pré-sal foi um dos compromissos assumidos pelo ministro Paulo Guedes (Ecoomia). Alterações na Lei Kandir, que isenta o ICMS em exportações de produtos primários e semielaborados ou serviços, também foram tema do encontro, que contou com a participação do secretário de Governo e Gestão Estratégica de MS, Eduardo Riedel.

Soraya defende cota feminina na política

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) é contra o projeto do senador Angelo Coronel (PSD-BA) que visa extinguir a cota de 30% de candidaturas de mulheres nos partidos (leia aqui). "O projeto está fadado ao fracasso. Ai daquele que votar a favor. E olha que sou de direita e entendo que cota é coisa de país subdesenvolvido. Mas precisamos entender que, no momento, essa cota é de extrema importância, senão as mulheres brasileiras não se animam. O caminho do meio nos levará ao destino ideal", disse ao site O Antagonista a senadora que na quinta-feira foi confirmada na presidência do PSL Mulher. "Mas chegará o dia em que a nossa sociedade terá consciência e não precisaremos de cota alguma. Estamos na primeira fase de um processo de desenvolvimento. Acabamos de acordar", acrescentou.

Preso por 'mensalinho', prefeito tem mandato cassado em Ladário

Vereadores de Ladário cassaram por nove votos a um o mandato do prefeito Carlos Aníbal Ruso Pedroso (PSDB), que foi preso em novembro pelo Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) na Operação Mensalinho, que investiga pagamentos mensais a vereadores em troca de apoio. O presidente da Câmara, Daniel Benzi (MDB), disse ao site Diário Corumbaense que o próximo passo é publicar o decreto oficializando a cassação de Ruso. "Independente do que ocorra na esfera judicial, ele não volta mais ao cargo". A defesa diz que vai recorrer.


Voltar


Comente sobre essa publicação...