Semana On

Quinta-Feira 25.abr.2019

Ano VII - Nº 347

Governo

Mato Grosso do Sul

Nova ponte sobre o rio Paraguai pode ser inaugurada em 2023

O local escolhido para construir a ponte fica a pouco mais dez quilômetros à direita da cidade de Porto Murtinho

Postado em 20 de Março de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Autoridades do Brasil e do Paraguai fizeram uma visita técnica, na manhã do último dia 19, ao ponto do rio Paraguai, em Porto Murtinho, onde deve ser construída a nova ponte ligando os dois países e que concretiza o ambicioso projeto da Rota de Integração Latino-Americana (Rila). O secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar (Semagro), Jaime Verruck, afirmou que os esforços serão concentrados para concluir todos os projetos e trâmites burocráticos em 12 meses de modo que a obra seja iniciada. E a pretensão é inaugurar a ponte em agosto de 2023.

“Hoje temos orçamento, temos projeto, tem uma equipe técnica já trabalhando aqui, portanto as condições todas estão reunidas. É um grande passo para a estruturação logística e a integração econômica do Estado de Mato Grosso do Sul, e torna realidade o sonho de muitas pessoas que pensaram e discutiram a concretização de uma rota bioceânica”, afirmou Verruck. O investimento estimado é de US$ 75 milhões, custeado pela Itaipu.

Este foi o primeiro encontro de trabalho para discutir o projeto entre as autoridades dos dois países. Estavam presentes também diretores da Usina Hidrelétrica Itaipu Binacional, que financiará a obra, em parceria com o governo paraguaio. A visita técnica teve o objetivo de definir o local em que a ponte será construída, explicou o diretor da Itaipu Binacional, Carlos Marun. “A partir daí é possível a convocação de uma reunião extraordinária do Conselho de Administração para aprovar os recursos destinados ao custeio da fase preparatória, que seriam os estudos, o licenciamento”, disse Marun.

O diretor-geral da Itaipu no Paraguai, Jose Alberto Alderete, afirmou que as obras que foram assumidas pela Itaipu “são um marco” para a integração sul-americana. “Após 53 anos da construção da Ponte da Amizade sobre o rio Paraná, Itaipu constrói mais uma ponte internacional. A ponte ligando Porto Murtinho a Carmelo Peralta será a primeira sobre o Rio Paraguai a unir os dois países”. Conforme ele, “a construção das pontes vai promover o desenvolvimento da fronteira Paraguai-Brasil e proporcionar benefícios para a população dessa região”.

O prefeito de Porto Murtinho, Derlei Delevatti, destacou a “grande importância” da obra para o município e a América do Sul como um todo, tendo em vista que vai possibilitar a ligação com a Costa do Pacífico por rodovia. “Com essa ponte vamos conseguir colocar os produtos, o grão principalmente, no mercado asiático através dos portos do Chile. Hoje estamos confirmando um sonho de 50 anos”, disse.

O projeto

Na ocasião foi apresentado um estudo técnico realizado pelo Ministério dos Transportes em 2016 e outras definições técnicas. O local escolhido para construir a ponte fica a pouco mais dez quilômetros à direita da cidade de Porto Murtinho, subindo o rio. No lado paraguaio fica a cidade de Carmelo Peralta. Para tanto será preciso implantar um trecho de 11 quilômetros de asfalto costeando o rio, a partir da BR-267. No lado paraguaio serão mais quatro quilômetros até a área urbana de Carmelo Peralta.  

A obra terá como parâmetro a ponte estaiada construída sobre o rio Paranaíba e que liga a cidade de Paranaíba (MS) a Porto Alencastro (MG). Esse modelo não atrapalha a navegabilidade do rio, pois os pilares serão erguidos nas margens e a uma altura que permite a passagem das embarcações. A extensão total da ponte terá 680 metros, de uma barranca a outra do rio, 12 metros de largura com mais uma passarela lateral para pedestre de um metro de largura. O vão entre os dois pilares terá 380 metros, mais 150 metros de cada pilar até a margem. A altura dos pilares que sustentarão os cabos (estai) será de 95 metros.

Também participaram da visita a diretora financeira de Itaipu, Monica dos Santos e o diretor de coordenação, Miguel Gomez, o deputado federal Vander Loubet, além de técnicos do Departamento de Engenharia da Itaipu.


Voltar


Comente sobre essa publicação...