Semana On

Domingo 22.set.2019

Ano VIII - Nº 364

Mato Grosso do Sul

Em encontro com Bolsonaro, presidente do Paraguai anuncia segunda ponte na fronteira com MS

No prazo de cinco anos serão construídas duas pontes em Porto Murtinho, tornando Mato Grosso do Sul um dos principais centros econômicos da América Latina

Postado em 13 de Março de 2019 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

No prazo de cinco anos serão construídas duas pontes sobre o rio Paraguai, em Porto Murtinho, consolidando as relações comerciais entre Brasil e Paraguai e tornando Mato Grosso do Sul um dos principais centros econômicos da América Latina. O presidente do Paraguai, Mario Abdo Benitez, anunciou a construção da ponte sobre o rio Apa, na fronteira dos dois países, em encontro com o presidente Jair Bolsonaro, em Brasília.

O compromisso de Abdo foi firmado durante sua visita oficial ao Brasil, no último dia 12. Em reunião com o presidente Bolsonaro, no Palácio do Planalto, o presidente paraguaio sustentou o acordo binacional firmado em dezembro de 2018, em Foz do Iguaçu, de construir a ponte sobre o rio Paraguai entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta. Na oportunidade, anunciou oficialmente a segunda ponte, no Apa, entre Murtinho e Vallemy, no valor de R$ 25 milhões.

Presente ao encontro, o secretário de Estado de Meio Ambiente, Desenvolvimento Econômico, Produção e Agricultura Familiar, Jaime Verruck, afirmou que a construção das duas pontes fortalecerá a integração econômica entre os dois países e consolidará a rota comercial de Mato Grosso do Sul até o Chile. “Foi uma agenda extremamente positiva para nosso Estado, que se tornará competitivo e desenvolverá outros segmentos, como o turismo”, destacou.

‘Com um discurso desenvolvimentista e proposta de uma economia liberal, o presidente paraguaio falou muito sobre novos desafios nas relações entre Brasil e Paraguai, o que chamou de fortalecimento da nossa conectividade, e considera estratégica também a construção da ponte sobre o rio Apa, que terá recursos do orçamento do governo paraguaio e a construção se dará concomitantemente à do rio Paraguai”, acrescentou Verruck.

Incremento nas exportações

No encontro com o presidente paraguaio, do qual também participou o senador Nelsinho Trad (MS), o presidente Jair Bolsonaro deixou claro a posição do Brasil sobre o realinhamento do País com seus parceiros na América Latina, sobretudo o Paraguai, e ratificou o acordo binacional firmado em Foz do Iguaçu. A ponte sobre o rio Paraná será construída pelo Brasil e a obra, já licitada, terá início no prazo de três a cinco meses, ao custo de R$ 280 milhões.

A licitação da ponte entre Porto Murtinho e Carmelo Peralta depende dos estudos de impactos ambientais, de responsabilidade do Departamento Nacional de Infraestrutura (Dnit), do Ministério dos Transportes do Brasil. O presidente Mario Abdo garantiu que concluída a contratação das últimas etapas do asfaltamento da rodovia entre Carmelo Peralta e a fronteira com a Argentina, o próximo passo será licitar a obra da ponte, que terá 500 metros de extensão.

Com a construção da travessia sobre o rio Paraguai, em Porto Murtinho, prevista para conclusão em 2024, o movimento das exportações e importações de Mato Grosso do Sul e outras regiões do Brasil com o Paraguai, Argentina e Chile, pela Rota Bioceânica – que unirá os oceanos Atlântico e Pacífico -, representará um incremento, no primeiro ano, de U$ 50 milhões de dólares (cerca de R$ 200 milhões) na economia no Estado.

A estimativa é do Sindicato das Empresas de Transporte de Cargas e Logística (Setlog-MS). Para o Governo de Mato Grosso do Sul, em cinco anos o Estado se tornará um polo concentrador do comércio latino-americano com a ligação rodoviária entre os portos dos oceanos Atlântico (Santos) e Pacífico (Antofagasta). O Estado ganhará em competitividade mundial, encurtando distâncias e reduzindo tarifas com seu principal mercado, o asiático.


Voltar


Comente sobre essa publicação...