Semana On

Quarta-Feira 21.ago.2019

Ano VII - Nº 359

Coluna

Juiz Odilon admite deixar PDT para disputar a Prefeitura de Campo Grande

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 06 de Março de 2019 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Com planos de disputar a sucessão do prefeito Marquinhos Trad (PSD) na eleição de 2020 em Campo Grande, depois de ter sido candidato ao governo de MS, Odilon de Oliveira admitiu ao Correio do Estado que poderá sair do PDT, onde terá de disputar espaço com o deputado estadual Jamilson Name, caso não haja espaço para sua candidatura. "Com relação a ficar no partido ou não depende do partido e do cenário que tiver traçado a partir do final deste ano. Não tenho como contar só como filiado, mas como ex-candidato também. Se o partido não tiver nenhuma pretensão política para mim, eu saio", disse o juiz aposentado. O jornal também ouviu Jamilson, que disse estar aberto à composição. "Não acho que teria um racha, eu aceitaria ser vice do dr Odilon. Seria uma honra. Não tenho nenhuma dificuldade”, afirmou o deputado.

Juiz Odilon agora é advogado

O juiz federal aposentado Odilon de Oliveira volta a exercer a advocacia, depois de mais de 30 anos de magistratura. Ele recebeu a carteira de advogado do presidente em exercício da Seccional da Ordem dos Advogados do Brasil de Mato Grosso do Sul (OAB-MS), Gervásio Alves de Oliveira Júnior e vai atuar em conjunto no escritório com os filhos advogados, Adriano Magno de Oliveira e Odilon de Oliveira Júnior, que é vereador em Campo Grande.

'Na política, um dia é uma eternidade' diz Rose sobre voltar a disputar a prefeitura

Corre o comentário em partidos políticos da Capital de que Rose Modesto estaria decidida a voltar a disputar a Prefeitura de Campo Grande e, nessa disposição, caso o PSDB optar por outra alternativa, poderia até mudar de sigla para a disputa e teria convites de siglas como o Progressistas, Solidariedade e PSC, entre outras. Consultada, a deputada federal afirmou: "Na verdade, sobre a prefeitura, o que existe é muita gente me questionando se serei candidata. Tenho dito que estou focada no mandato de federal e que, na política, um dia é uma eternidade. Eu não tenho pretensão de sair do partido, nunca cogitei isso".

Coronel David: 'Não penso em sair do PSL'

Indagado sobre notícia de que estaria cogitando deixar o PSL se não for tratado com "dignidade" na sigla pela nova direção regional comandada pela senadora Soraya Thronicke, o deputado estadual Coronel David, uma das primeiras lideranças estaduais a apoiar Jair Bolsonaro antes mesmo de o então deputado federal se lançar candidato à Presidência, respondeu hoje ao Blog não está nos seus planos atuais deixar o partido. "Não penso em sair. Ajudei a construir o partido aqui no estado, trouxe muitas pessoas e não seria legal sair porque a presidente tem problema pessoal comigo. A menos que não me tratem com o devido respeito", afirmou. David explicou ter sido indagado se prejudicaria sua possível candidatura à Prefeitura o fato de ter sido excluído da cúpula regional do PSL junto com o deputado federal Luiz Ovando. "Eu respondi que não sou ainda candidato, porque tenho responsabilidade com meu mandato. E que, se decidir sair candidato e não tiver espaço no partido, poderia pensar em sair", emendou.

Senadora de MS defende Bolsonaro: 'feio é roubar, é esconder do povo o que pensa'

A senadora Soraya Thronicke (PSL-MS) defendeu Jair Bolsonaro, sobre a polêmica após o presidente ter divulgado um vídeo com a imagem de um homem urinando em outro no Twitter. "Acho que o presidente se chocou tanto quanto eu. E isso em nada diminui a capacidade dele. Se ele está horrorizado, eu quero saber que ele está horrorizado com aquilo e que vai coibir aquilo. O que eu acho feio é roubar, é esconder do povo brasileiro o que pensa", disse Soraya ao site O Angatonista, frisando que o vídeo já circulava nas redes sociais antes de ser postado pelo presidente. "O presidente Bolsonaro é humano, alguém que conversa como a gente, conversa com o povo, dialoga. Eu fiquei horrorizada. Ele também ficou. Temos um presidente que mostra quem é. E ele não desce do salto por conta disso. Estamos cansados de hipocrisia. Eu quero um presidente que mostre, sim, o que pensa”, acrescentou a sul-mato-grossense.

Ayache comandará Cassems pela 3ª vez

Reeleito para o terceiro mandato como presidente da Caixa de Assistência dos Servidores do Estado de Mato Grosso do Sul (Cassems), Ricardo Ayache tomará posse com os demais integrantes da diretoria no dia 12 de março, a partir das 18 horas, no Centro de Convenções Rubens Gil de Camillo, em Campo Grande. O médico cardiologista foi reeleito para comandar a entidade por mais três anos em chapa única na sexta-feira anterior com 97% dos 12.781 votos válidos de quase 13 mil servidores públicos estaduais. Foram registrados ainda 213 votos em branco, 65 nulos e 74 impugnados.

Gaeco prende vereadora em Três Lagoas

O Grupo de Atuação Especial de Combate ao Crime Organizado (Gaeco) prendeu em Três Lagoas, ontem, a vereadora licenciada como secretária municipal de Esporte, Juventude e Lazer do município, Marisa Rocha (PSB), suspeita de chefiar uma organização de tráfico de drogas na região. O mandado de prisão preventiva é um desdobramento da Operação Themis, deflagrada em janeiro deste ano. Conforme o site Rádio Caçula, da cidade, Marisa responde processo por associação ao tráfico desde 2013, quando foi feita uma apreensão de droga em um sítio pertencente à sua família, e também teve o nome citado em outra operação policial no ano passado.


Voltar


Comente sobre essa publicação...