Semana On

Terça-Feira 26.mar.2019

Ano VII - Nº 343

Super Banner na capa e em toda a revista

Brasil

Queda no nº de assassinatos em 2018 é a maior dos últimos 11 anos

Total de mortes violentas caiu 13% no ano passado em comparação com 2017

Postado em 28 de Fevereiro de 2019 - G1

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A queda registrada no número de assassinatos no Brasil em 2018 é a maior em 11 anos se for levada em conta a série histórica do Fórum Brasileiro de Segurança Pública. O país teve uma redução de 13% no número de mortes violentas no ano passado em comparação com 2017. Foram registrados 51.589 assassinatos em 2018, ante 59.128 no ano anterior.

A queda interrompe uma alta no número de mortes por dois anos consecutivos. O Fórum Brasileiro de Segurança Pública coleta os dados completos do país desde 2007. Até 2011, porém, os dados se referiam a ocorrências (em que é possível ter mais de uma vítima). A partir de 2012, são consideradas as vítimas dos crimes.

"A análise da série histórica dos registros de crimes violentos letais intencionais indica que a redução verificada entre 2017 e 2018 é a maior já registrada, tanto se olharmos para o número de casos como para a taxa. Essa é uma boa notícia e que merece ser comemorada, mas o desafio é compreendermos os motivos que levaram a redução destes crimes em tantos estados, alguns com quedas tão acentuadas (acima de 20%)", afirma a diretora executiva do Fórum Brasileiro de Segurança Pública, Samira Bueno.

"O aumento expressivo da violência letal no ano de 2017 foi motivada em especial pela guerra entre facções criminosas e a crise no sistema prisional. Ainda que estes conflitos possam ter arrefecido, a redução em 24 unidades da federação mostra que outras dinâmicas devem ser verificadas. É necessário produzir estudos capazes de avaliar e compreender os determinantes destas quedas em tantos locais distintos. Isso significa dizer que, se temos uma boa notícia, não podemos falar ainda de uma tendência. Vai ser necessário muito trabalho para garantir que este resultado se sustente nos próximos anos", diz.

Estão contabilizadas no levantamento as vítimas de homicídios dolosos, latrocínios e lesões corporais seguidas de morte. Juntos, estes casos compõem os chamados crimes violentos letais e intencionais. Não há hoje uma divulgação desses dados por parte do governo federal – por isso a importância desse projeto.

Os dados da série histórica apontam que, desde 2008, apenas quatro anos fecharam com queda no número de assassinatos em relação ao ano anterior: 2009 (queda de 3%), 2010 (2,8%), 2015 (2,7%) e 2018 (12,8%). Nos três primeiros, porém, as quedas foram muito mais baixas que a registrada em 2018. No resto do período, houve alta.

O levantamento dos dados de 2018 faz parte do Monitor da Violência, uma parceria do G1 com o Núcleo de Estudos da Violência da USP e o Fórum Brasileiro de Segurança Pública.

Ele revela que:

  • houve uma redução de 7.539 vítimas em um ano
  • a taxa de mortos a cada 100 mil no país caiu de 28,5 para 24,7
  • apenas três estados (Amapá, Tocantins e Roraima) tiveram aumento no número de mortes violentas
  • seis estados apresentaram uma redução superior a 20%
  • Pernambuco teve a maior redução no país: 23%

Os dados coletados mês a mês não incluem as mortes em decorrência de intervenção policial. Isso porque há uma dificuldade maior em obter esses dados em tempo real e de forma sistemática com os governos estaduais. O balanço ainda será realizado dentro do Monitor da Violência, separadamente, como em 2018.

Maior redução e queda do Norte e no Nordeste

Pernambuco, considerado um dos estados mais violentos do Brasil, foi o que teve a maior redução percentual no número de vítimas de crimes violentos.

Foram 4.170 mortes em 2018, contra 5.427 em 2017. Apesar disso, a taxa de mortes a cada 100 mil habitantes continua alta: 43,9.

Outros estados do Nordeste e do Norte também se destacaram com quedas consideráveis, como Alagoas (baixa de 22,5% no número de mortes) e Acre (queda de 22,1%). As duas regiões, que tinham puxado a alta de assassinatos em 2017, agora colaboraram para a queda.

Os estados das duas regiões concentraram 54,6% do total de mortes do país em 2017. Em 2018, esse percentual caiu para 53%, mostrando que o ritmo de queda está maior que em outras regiões de uma forma geral.

Na contramão

Apenas três estados do Brasil registraram um aumento no número de crimes violentos: Roraima, Tocantins e Amapá.

Roraima teve a maior alta: 54%. Foram 345 mortes em 2018, contra 224 em 2017. Com isso, o estado, que foi alvo de uma intervenção federal, passou a ter também a maior taxa de mortos a cada 100 mil no país: 59,8.

Tocantins aparece na segunda posição, com uma alta de 44%. Foram 421 casos em 2018, ante 293 em 2017.

O Amapá completa a lista dos três estados com crescimento no número de mortes em um ano. A alta foi de 10% de 2017 para 2018.


Voltar


Comente sobre essa publicação...