Semana On

Quinta-Feira 23.mai.2019

Ano VII - Nº 351

Comportamento

Por que as outras pessoas sempre parecem ter mais dinheiro que você?

Pode ser apenas uma ilusão, causada pela tendência que temos de nos comparar aos outros. Entenda o porquê

Postado em 12 de Fevereiro de 2019 - Ingrid Luisa – Super Interessante

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Um ditado popular diz que “a grama do vizinho é sempre mais verde”. Mas se você usar esse frase com aquele seu amigo que gosta de dar lição de moral, ele pode responder: “isso acontece porque você olha demais para a grama do outro e esquece de regar a sua”. A crença popular diz que o verdadeiro problema é a inveja que se tem do outro. E pode até ter uma certa razão, mas a questão central não é essa. A questão principal está na necessidade humana de se comparar o tempo inteiro.

Um estudo realizado por pesquisadores do Dartmouth College, nos EUA, investigou se é verdade que as pessoas se sentem inferiores quando outras a seu redor ganham mais. Segundo a pesquisa, sim. Ela define dois tipos de comparações sociais. Quando você se compara a alguém “melhor” que você, faz uma comparação social ascendente, que tende a torná-lo infeliz. Quando você se compara a alguém “pior” do que você, é uma comparação social descendente, e tende a fazer com que você se sinta satisfeito com a sua “sorte na vida”.

Por essa lógica, tende a ser mais satisfatório comprar uma casona em um bairro simples (porque a pessoa se sentirá “superior” aos vizinhos) do que uma casa modesta em um bairro super valorizado — que fará o dono se sentir inferior aos vizinhos.

O estudo afirma que o efeito negativo gerado pelos ganhos dos vizinhos sobre o seu próprio bem-estar pode ser provocado pelas metas de consumo que você têm, mas não conseguiu atingir — e o vizinho sim. Por exemplo: você sonha em ter um carro, mas ele é muito caro para o seu orçamento. Toda vez que você ver aquele carro, seu subconsciente vai reparar na pessoa que está dirigindo, nas roupas que ela usa, com quem ela está. Isso fará você se comparar a aquele outro indivíduo, e se sentir mal. Naturalmente, sua cabeça concluirá que aquela pessoa tem muito mais dinheiro do que você.

Mas nem sempre é bem assim. Se comparar às cegas é uma armadilha, pois você provavelmente vai superestimar o dinheiro que o outro tem. Aquela pessoa pode ter divido em 10 anos o carro que você tanto quer, ou mesmo se endividado para comprá-lo. Além disso, as pessoas desconsideram tudo que têm quando olham para o que não têm. Talvez a prioridade da vida de uma pessoa que tenha aquele carro seja justamente essa. Mas a da sua seja fazer uma viagem. Por mais que você queira o carro, não vai sacrificar tudo o que pode por ele. Outras pessoas, com certeza, farão isso — e parecerão mais ricas do que realmente são.

A insatisfação pode ser frustrante. Mas é sempre bom checar se você está sofrendo por algo que não está ao seu alcance. E se você não está se deixando enganar pelas aparências alheias. Usar a insatisfação como forma de motivação, para agir em prol do que se quer, é bem mais produtivo. Assim, quando seu amigo afirmar que a grama do vizinho é melhor porque você não regou a sua, você pode respondê-lo com outra frase pronta: “ela só é mais verde porque é de plástico. Pelo menos a minha é de verdade”.


Voltar


Comente sobre essa publicação...