Semana On

Terça-Feira 18.dez.2018

Ano VII - Nº 332

Governo

Campo Grande

Prefeitura licita R$ 2,1 milhões para reforma dos parques Ayrton Senna e Jacques da Luz

Expectativa é que dentro de um ano os dois espaços públicos de lazer e práticas desportivas sejam entregues à população de Campo Grande

Postado em 27 de Novembro de 2018   - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

A Prefeitura planeja iniciar ainda no primeiro trimestre de 2019 a revitalização dos Parques Ayrton Senna e Jacques da Luz. O investimento de R$ 2,1 milhões vai garantir, por exemplo, a reabertura das seis piscinas (três em cada parque) fechadas há mais de quatro anos.  A expectativa é que dentro de um ano, os dois espaços públicos de lazer e práticas desportivas, que ocupam mais de 80 hectares, sejam entregues à população de Campo Grande.

Só na recuperação dos parques aquáticos, com nova casa de máquinas, troca de revestimentos, substituição dos filtros, impermeabilização,   devem ser investidos pelo menos R$ 1.156,052,82, (58,95% do  custo total).   As obras no Ayrton Senna estão orçadas em R$ 1.285.841,33,  enquanto para os  serviços programados no Jacques da Luz, o preço de referência é de R$ 995.612,11.  A abertura das propostas está marcada para a primeira semana de 2019 (7 e 8 de janeiro).

No  Parque Ayrton Senna  já está em construção um centro olímpico oficial para competições de atletismo ao custo de R$ 7,6 milhões,  R$ 6,9 milhões,  recursos do Ministério dos Esportes e R$ 765,9 mil de contrapartida de recursos da Prefeitura. A reforma também contempla  pintura, reforma dos banheiros, da área administrativa,  instalações elétricas, telhado da quadra coberta danificado pela falta de manutenção e a proliferação de pombos.

Abandono

Desde o ano passado a Prefeitura tem atuado para devolver o pleno potencial de utilização dos dois parques, que ao longo dos últimos anos não receberam investimento de manutenção. Os parques aquáticos estão fechados desde 2014 e foi preciso esvaziar as piscinas para evitar o risco de proliferação do mosquito da dengue.


Voltar


Comente sobre essa publicação...