Semana On

Quarta-Feira 19.set.2018

Ano VI - Nº 320

Prefeitura

Coluna Paladar

O fascínio das pimentas

Saiba tudo sobre esta especiaria que não pode ficar de fora das suas receitas

Postado em 05 de Julho de 2018 - Vera Chaves

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

As pimentas sempre me encantaram com suas cores, aromas e pungência. Elas aguçam os sentidos, estimulam o apetite e em alguns casos beneficiam a saúde. O efeito que o ardor da pimenta provoca em nosso organismo é semelhante a uma queimadura e o cérebro para compensar o desconforto, libera a produção das chamadas endorfinas. Essas substâncias liberadas, produzem uma sensação de intenso bem-estar. Muitos a comparam a uma espécie de morfina natural e atribuem a isso a irresistível atração que as pimentas exercem sobre o paladar humano.

O termo pimenta vem do latim pigmantum, que significa pintar. Seu sentido original era o de matéria corante. Depois, passou a indicar uma especiaria aromática. Quando os portugueses chegaram ao Brasil, diversas tribos indígenas já cultivavam uma grande variedade de pimentas, que não eram empregadas somente como tempero, mas como moeda de troca.

Mitos, crenças e rituais

Não há dú­vidas de que as pi­mentas mexem com a ima­gi­nação, estão li­gadas ao uni­verso da magia e são usadas como ta­lismãs contra o mal, ou in­ver­sa­mente as­so­ci­adas a fi­guras de­mo­níacas e a ri­tuais das trevas. E quem não ouviu falar do fa­moso "olhar de seca pi­men­teira"? Diz-se isso das pes­soas in­ve­josas, cuja co­biça seria tão no­civa ao ponto de secar as pi­men­teiras das casas alheias.

Boas para a saúde

Apesar de vistas com des­con­fi­ança pelas pes­soas de pa­la­dares mais sen­sí­veis, as pi­mentas, jun­ta­mente com os pi­men­tões, são ótimas ali­adas da saúde. Longe de serem ir­ri­ta­tivas para o estô­mago, como reza o ima­gi­nário po­pular, elas têm efeitos ci­ca­tri­zante e bac­te­ri­cida, pro­te­gendo a mu­cosa es­to­macal e aju­dando a com­bater di­ar­reias e vermes. Seus altos te­ores vi­ta­mí­nicos as tornam ricas em pro­pri­e­dades an­ti­o­xi­dantes e anti-in­fla­ma­tó­rias. Seus prin­ci­pais nu­tri­entes são o cálcio e as Vi­ta­minas A e C. Seu su­cesso, por­tanto está ga­ran­tido nas mesas do mundo in­teiro.

Confira as receitas

O molho de pi­menta sempre é um ótimo com­pa­nheiro para di­versas re­ceitas: fei­joada, ape­ri­tivos, carnes, qual­quer coisa e, esta re­ceita, é na me­dida para qual­quer oca­sião

MOLHO BÁ­SICO DE PI­MENTA DEDO DE MOÇA

In­gre­di­entes:
- 100 gr de pi­menta dedo-de-moça
- 3 uni­dade(s) de to­mate
- 1 dente(s) de alho grande(s)
- quanto baste de sal
- 1 folha(s) de louro grande(s)
- quanto baste de azeite

Modo de Pre­paro:
Bata no li­qui­di­fi­cador  a pi­menta, alho, to­mates sem se­mentes, louro, pi­tada de sal. Leve ao fogo e deixe ferver até que a água dos to­mates de­sa­pa­reça. Trans­fira para um vidro com tampa e co­loque mais 1 folha de louro, 1 dente de alho des­cas­cado in­teiro e cubra com azeite. Leve à ge­la­deira e sempre que usá-la com­plete o azeite para que não es­trague.

Obs: se quiser uma pi­menta mais suave, re­tire as se­mentes do dedo de moça.

NOZES PI­CANTES

In­gre­di­entes:
- 3 co­lheres de sopa de man­teiga
- 3 dentes de alho amas­sados
- 1 co­lher de chá de molho de pi­menta ver­melha
- 3 co­lheres de chá de pi­menta dedo de moça pi­cada
- 1 co­lher de chá de sal
- 100g de nozes pecã in­teiras

Modo de Pre­paro:
Em uma fri­gi­deira co­loque a man­teiga, o alho, o molho de pi­menta, a pi­menta pi­cada e o sal. Re­fogue por um mi­nuto. Acres­cente as nozes , me­xendo bem para que todas es­tejam en­vol­vidas por esse molho. Con­tinue me­xendo por al­guns mi­nutos.​Des­ligue e sirva como ape­ri­tivo, morno ou frio.

CHUTNEY DE PI­MENTA MA­LA­GUETA

In­gre­di­entes:
- 10 pi­mentas ma­la­gueta pi­cadas
- 2 x de chá de açucar
- 1 co­lher de sopa de oré­gano
- 1 co­lher de chá de co­minho em pó
- 1 dente de alho pi­cado
- 1 ce­bola média pi­cada
- 2/3 de x de chá de vi­nagre de maçã sal a gosto

Modo de Pre­paro:
Pique as pi­mentas. Co­loque em uma pa­nela, acres­cente os de­mais in­gre­di­entes e leve ao fogo, dei­xando co­zi­nhar len­ta­mente por 20 mi­nutos. Sirva frio em an­te­pastos, ou, aque­cido, como acom­pa­nha­mento, em carnes.

Dica: se pre­ferir um molho mais suave, mis­ture pi­menta dedo de moça. Me­tade ca­la­bresa, me­tade dedo de moça.

Dica boa

Se ao in­gerir uma pi­menta você sentir um ardor de­sa­gra­dável, evite beber água. O lí­quido, em vez de ajudar, pode es­pa­lhar ainda mais a sen­sação ruim. O certo é levar um grande gole de creme de leite à boca e bo­che­char por um mi­nuto e cuspi-lo. Pode subs­ti­tuir o creme de leite por sor­vete, um pe­daço de pão fresco, ba­tata co­zida ou arroz. Estes ali­mentos pos­suem uma grande ca­pa­ci­dade de ab­sorção e ajudam drenar a cap­sai­cina, res­pon­sável pelo ardor das pi­mentas.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Vera Chaves

Vera Chaves

Vera Chaves é cheff internacional e advogada.


Saiba mais sobre Vera Chaves...