Semana On

Segunda-Feira 25.set.2017

Ano V - Nº 272

Detran

Coluna True Colors

A cada 25h, uma pessoa LGBT é assassinada no país, revela pesquisa

Entidades lutam por lei que criminalize a homofobia

Postado em 19 de Maio de 2017 - Redação Semana On

A cada 25 horas, uma lésbica, gay, bissexual ou transexual (LGBT) é assassinado no Brasil por causa de sua orientação sexual. Só nos primeiros quatro meses deste ano, foram registradas 117 mortes. Os dados são do Grupo Gay da Bahia (GGB), divulgados na data em que é celebrada o Dia Internacional Contra a Homofobia, na quarta-feira (17).

Segundo o relatório do GGB, com dados de 2016, São Paulo é o estado do país que mais mata pessoas LGBT por motivações homofóbicas. A Bahia vem em segundo. Membro honorário do GGB e militante LGBT, Genilson Coutinho lamenta a crescente violência contra pessoas LGBT e atribui a diversos fatores, principalmente à impunidade.

“Não há uma lei que criminalize a homofobia no país, que faça com que as pessoas abram os olhos e desaprovem isso. A impunidade fortalece a violência diária. O criminoso mata hoje e com um habeas corpus é liberado. Isso institui a banalização, porque a cada 25 horas um homossexual é assassinado no Brasil, a cada dia uma família é dilacerada pela morte de filhos LGBT".

Ele ainda cita, como forma de sustentar a homofobia, a ausência de políticas públicas e a falta de atendimento apropriado a essas pessoas, em locais de denúncias e apoio, o que institucionaliza esse tipo de violência. Coutinho lembra que muitos casos deixam de ser registrados em delegacias, pois as vítimas passam por constrangimentos, o que acaba sendo uma segunda violência.


Voltar


Comente sobre essa publicação...