Semana On

Quarta-Feira 21.nov.2018

Ano VII - Nº 328

Coluna do Marco Eusébio

Coluna Marco Eusébio Online

Odilon já admite disputar Prefeitura da Capital em 2020

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 31 de Outubro de 2018 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Empolgado por ter chegado ao segundo turno da disputa pelo governo de Mato Grosso do Sul e ter obtido 616.422 votos, o juiz aposentado Odilon de Oliveira (PDT) disse que seu projeto político continua, e que não descarta disputar as eleições de 2020, quando estarão em jogo a cadeira de prefeito da Capital. O presidente regional do PDT, deputado federal Dagoberto Nogueira, disse ao jornal Correio do Estado que considera o juiz "imbatível para a prefeitura". Odilon não se colocou como "oposição" ao governo do reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB), mas – sem citar o prefeito Marquinhos Trad (PSD) e o govenador reeleito Reinaldo Azambuja (PSDB) –, disse que "vai se posicionar com relação ao governo municipal e estadual" em defesa "do povo". Contou também que pretende sugerir um projeto para o governo do presidente eleito Jair Bolsonaro (PSL) para a segurança pública, focado nas fronteiras de MS com o Paraguai e a Bolívia que, fez questão de frisar, foi "abandonada nos últimos anos".

Reeleito, Azambuja agradece e diz que sua gestão foi testada e aprovada

Reeleito governador de Mato Grosso do Sul, Reinaldo Azambuja (PSDB) agradeceu aos eleitores, disse à imprensa que precisa concluir o atual mandato e afirmou que vai "trabalhar dobrado" na nova gestão a partir de 2019. "Vencemos juntos pelo trabalho". Azambuja declarou que sua gestão foi "testada" e aprovada " pela maioria da população do estado", depois de enfrentar a "intolerância", o denuncismo" e "um adversário que só falava uma palavra, combater a corrupção, combater isso, como se nós não fizéssemos isso”. Reinaldo também disse que "ninguém faz política sozinho" e agradeceu a militância e aos que disputaram a eleição. Ouça trecho do discurso.

Salomão volta ao comando do Procon-MS

O advogado Marcelo Salomão voltou ao cargo de superintendente do Procon-MS, do qual se afastou no início de agosto para atuar na campanha da vice-governadora Rose Modesto (PSDB), eleita deputada federal. Sua nova nomeação será publicada na próxima segunda-feira no Diário Oficial do Estado, com data reatroativa a hoje. Já neste primeiro dia, Salomão divulgou pesquisa feita em floriculturas e hipermercados de Campo Grande que aponta diferença superior a 500% no preço de produtos para o Dia de Finados (veja na nota abaixo). Em áudio, Salmão fez um rápido balanço de sua primeira fase no Procon e falou dos novos projetos para atuar contra abusos contra o consumidor, orientar a população sobre seus direitos, e dar respaldo aos comerciantes para que "bons empresários" cumpram a legislação. Ouça abaixo.

Evo quer intensificar relações com MS

Além de afirmar que pretende manter relações com o Brasil, apesar das diferenças ideológicas, e parabenizar o País pelas eleições que chamou de "festa democrática" que elegeu Bolsonaro, o presidente da Bolívia, Evo Morales, disse ao prefeito de Corumbá, Marcelo Iunes, e ao presidente da Câmara e deputado eleito, Evander Vendramini, que pretende intensificar a relação com Mato Grosso do Sul.

"Ele falou que quer intensificar a relação com o MS, o que achei bom levando em conta à necessidade da abertura para que a MS Gás possa adquirir gás natural mais barato. Disse também que em breve vai inaugurar o porto em Porto Busch, que irá escoar minério de ferro das jazidas de Mutum, na Bolívia, que irá trabalhar forte na questão da rota bioceânica passando por Corumbá, até o Peru, e me convidou a ir a La Paz fazer para uma visita oficial, a ser agendada", contou o deputado eleito Evander, depois do encontro com o presidente boliviano que inaugurou ontem os portos Gravetal e Aguirre, no município de Puerto Quijarro, na fronteira com MS.

TJMS elege sua nova diretoria

O desembargador Paschoal Carmello Leandro foi eleito presidente do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJMS) para o biênio 2019-2020, tendo como vice-presidente Carlos Contar e como corregedor-geral Sérgio Martins. A nova diretoria da Corte foi eleita por maioria, pelos desembargadores do Pleno. Normalmente, a presidência do TJMS é assumida por quem ocupa a presidência do Tribunal Regional Eleitoral (TRE-MS), mas como presidente Tânia Garcia de Freitas Borges está afastada das funções pelo Conselho Nacional de Justiça (CNJ), a tradição foi interrompida neste fim de ano.

Fusão de ministérios de Bolsonaro segue exemplo de MS, diz Onyx Lorenzoni

Ao falar sobre a fusão a possível de ministérios no governo de Jair Bolsonaro que vai criar o superministério da Economia (abrigando Fazenda, Planejamento e Indústria e Comércio Exterior) a ser comandado por Paulo Guedes e, em especial, sobre a fusão do Ministério da Agricultura com o do Meio Ambiente, o futuro chefe da Casa Civil, deputado federal Onyx Lorenzoni (DEM-RS), citou como exemplo o governo de Mato Grosso do Sul:

"O presidente não recuou em nada. Assim como já tem a experiência de alguns anos em Mato Grosso do Sul e em outros lugares do mundo: agricultura e meio ambiente de mãos dadas. É isso. Um ministério só", disse à TV Globo.

Sobre a menção feita por Lorenzoni, o governador Reinaldo Azambuja afirmou: "Aqui, o resultado foi positivo porque conseguimos conciliar preservação ambiental com desenvolvimento do estado. Sou favorável a isso". Bolsonaro, disse Onyx, quer reduzir para 15 ou 16 o número de ministérios.

Em MS, Azambuja baixou de 15 para 10 o número de secretarias e cortou 3.900 cargos comissionados. "Diminuímos as estruturas para gastar menos com o governo e investir mais nas pessoas”, afirmou hoje o governador.

Coronel David vira alvo de pré-candidatos à Mesa Diretora

Eleito deputado, o Coronel David (PSL) visitou a Assembleia, conversou com o presidente da Casa em fim de mandato Júnior Mochi (MDB) e concedeu entrevistas. O ex-comandante da PM e antigo apoiador de Bolsonaro, que na atual legislatura foi suplente e chegou a ocupar a cadeira de deputado quando Barbosinha (DEM) virou secretário de Segurança, David disse que foi "rever os amigos". Na Casa, acabou sondado pelos deputados tucanos Onevan de Mattos e Rinaldo Modesto, que estão de olho na presidência da Assembleia. Outro pré-candidato, Eduardo Rocha, que embora seja do MDB, apoiou o governador Reinaldo Azambuja (PSDB) no segundo turno, também telefonou para David. "O PSDB tem a maior bancada, mas é necessário dialogar com os deputados. Por enquanto, só há especulações", disse.

Mourão promete ajudar MS e Levy Fidelix confunde o estado com MT

Ainda em tom de campanha após as eleições, a senadora eleita Soraya Thronicke (PSL) postou vídeo no Facebook ontem ao lado do vice-presidente eleito da República, Hamilton Mourão, e com o presidente do partido dele, o PRTB, Levy Fidelix, em São Paulo, em que o general manda uma mensagem a Mato Grosso Sul dizendo que "o governo Bolsonaro tem uma visão muito clara de como auxiliar mais ainda o desenvolvimento desse estado que tem uma pujança enorme e uma representatividade tremenda no nosso país". No vídeo, Levy Fidelix insiste em chamar MS pelo nome do vizinho Mato Grosso.

 

 


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Marco Eusébio

Marco Eusébio

Jornalista, blogueiro e analista político.


Saiba mais sobre Marco Eusébio...