Semana On

Sábado 22.set.2018

Ano VI - Nº 321

Governo

Coluna Marco Eusébio Online

João Amorim, Giroto e outros alvos da Lama Asfáltica voltam à prisão em MS

As notícias que fizeram a semana política em MS, com Marco Eusébio

Postado em 09 de Março de 2018 - Marco Eusébio

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Quatro investigados da Operação Lama Asfáltica voltaram à prisão nesta sexta-feira (9) em Campo Grande: o empresário João Amorim, o ex-deputado federal e ex-secretário de Obras de MS Edson Giroto, o empresário Flávio Henrique Scrochio e o fiscal de obras da Agesul Wilson Roberto Mariano de Oliveira (Beto Mariano). Eles se apresentaram à Polícia Federal pela manhã após ter a prisão preventiva decretada ontem pela Justiça Federal. A medida acontece depois que o Supremo derrubou, na terça-feira, habeas corpus concedido pelo ministro da Corte, Marco Aurélio Mello, a João Amorim, que se estendeu aos demais. A Justiça Federal decretou mais quatro prisões domiciliares: de Rachel Giroto (esposa de Edson Giroto), Ana Paula Amorim Dolzam (filha de João Amorim), Mariane Mariano de Oliveira (filha de Beto Mariano) e Elza Amaral (secretária de Amorim). A Lama Asfáltica iniciada em 2013 investiga esquema de superfaturamento e fraudes de licitações em obras com recursos federais feitas pelo Governo de MS e atualmente está na 5ª fase.

Giroto é acusado de agredir repórter do Midiamax em Campo Grande

O ex-deputado federal Edson Giroto está sendo acusado de desferir um tapa na repórter Mariana Rodrigues e de ter xingado o repórter fotográfico Cleber Gellio, ambos do Midiamax, ao chegar à sede da Superintendência da Polícia Federal em Campo Grande, acompanhado do advogado Valeriano Fontoura, após ter a prisão preventiva decretada com outros investigados (leia nota acima) pela Justiça Federal depois de o Supremo cassar os habeas corpus que os deixava em liberdade. O Midiamax publicou o vídeo abaixo e divulgou que um boletim de ocorrência por agressão contra Giroto foi registrado no 7º DP, na Capital.

Cão da PF acha droga em carro apreendido com filho de desembargadora há 1 ano

Durante treinamento de cães farejadores da Polícia Federal em Três Lagoas, uma cadela pastora alemã encontrou 9 kg de maconha em tabletes escondidos no para-choques e lanternas de um Jeep Renegade apreendido em abril do ano passado com Breno Fernando Solon Borges, filho da presidente do TRE-MS e desembargadora do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS) Tânia Garcia de Freitas Borges. Quando o carro foi apreendido, foram encontrados 130 kg de maconha em uma carreta de transporte de motos engatada ao veículo, 200 munições de fuzil e uma arma, que seriam levados ao Rio de Janeiro. Dias depois da prisão, a defesa pediu a restituição do carro e uma caminhonete, que estão em nome da desembargadora, mas a Justiça negou a devolução até o fim do processo.

Índios de MS questionam vereador que defende 'descer o cacete' contra bloqueios

Um grupo de indígenas foi à sessão da Câmara de Campo Grande para protestar contra a declaração do vereador André Salineiro (PSDB), policial federal, que, ao falar sobre bloqueio de rodovias feitos por índios em MS nesta semana, defendeu que a polícia deve “descer o cacete mesmo" para liberar as estradas (leia o vídeo abaixo). “Ele foi preconceituoso e infeliz na fala dele e como policial federal esqueceu que um dos parceiros dele matou um companheiro nosso e, nem por isso, nós agredimos os policiais”, disse o cacique Genivaldo Antônio Campos, de 37 anos, da aldeia Córrego do Meio, de Sidrolândia, citando a morte do indígena Oziel Gabriel em 2013 na Fazenda Buriti, naquele município, após confronto com policiais. “Por que ele não foi ajudar a desbloquear a BR ao invés de ficar no ‘bem bom’, no ar-condicionado?”, questionou o cacique, que afirmou ao jornal Correio do Estado que pretende tomar providências jurídicas contra vereador. Por fim, Salineiro admitiu que excedeu e pediu desculpas. Veja em vídeo o discurso do vereador:

Kemp critica vereador que mandou 'descer o cacete' nos índios em MS

O deputado estadual Pedro Kemp (PT) usou a tribuna da Assembleia para classificar como "desastrosa e infeliz” a declaração do vereador André Salineiro, de Campo Grande, que ao falar sobre bloqueio feito por indígenas em protesto na BR-163 contra a precariedade no serviço de saúde nas aldeias, defendeu que polícia deve "descer o cacete" nos indígenas (veja no vídeo acima). Kemp disse que esse tipo de discurso dá "muito Ibope", diante da crise na política e faz surgir "salvadores da Pátria" como Bolsonaro, que chamou de "idiota" e "débil mental". "Se descer o cacete, dar tiro nas pessoas, resolvesse os problemas, a Síria hoje seria um céu, seria um paraíso. Nós estamos de políticas públicas para resolver questões sociais, e não de polícia", afirmou Kemp que, em alusão ao Dia da Mulher, aproveitou para lembrar iniciativas pioneiras dos governo Lula e Zeca do PT em favor das mulheres.

Corregedor do CNJ arquiva procedimento sobre desembargadores do TJMS

O ministro corregedor do Conselho Nacional de Justiça (CNJ), João Otávio de Noronha, arquivou procedimento instaurado em agosto do ano passado que visava apurar eventual irregularidade nas decisões dos desembargadores José Ale Ahmad Neto e Ruy Celso Barbosa Florence, do Tribunal de Justiça de Mato Grosso do Sul (TJ-MS), que concederam transferência da prisão para uma clínica particular a Breno Solon Borges, filho da também desembargadora do TJ-MS, Tânia Garcia de Freitas Borges, acusado de tráfico de drogas. A informação foi divulgada hoje no site da Associação dos Magistrados de MS (Amamsul), que publicou nota de apoio à decisão do CNJ. "Para o ministro Noronha, não houve nenhuma irregularidade nas decisões proferidas pelos desembargadores, seja nas sessões de julgamento, seja de forma monocrática. Da mesma forma, o ministro enalteceu a alta qualificação acadêmica e intelectual dos magistrados envolvidos e afirmou a total regularidade e transparência do sistema de distribuição processual do Tribunal de Justiça", diz a nota assinada pelo presidente da Amamsul, Fernando Chemin Cury.

Chico Maia visita juiz Odilon e confirma aliança do Podemos com o PDT em MS

O pecuarista e pré-candidato ao Senado pelo Podemos, Chico Maia, se reuniu com o juiz federal aposentado Odilon de Oliveira, pré-candidato ao Governo de MS pelo PDT, para confirmar a aliança dos partidos nas eleições deste ano. Maia afirmou que "Odilon representa a ética" e por isso vão "caminhar juntos" em MS com aval da direção nacional do partido e do senador Álvaro Dias (PR) que estará em Campo Grande no dia 19 para sacramentar a união. Odilon disse que conhece Maia "há 30 anos" e o classificou como um "homem íntegro, ficha limpa e empresário de sucesso". O juiz frisou ainda que está orgulhoso de ter um representante do agronegócio em sua chapa, e que vai precisar do apoio dos produtores rurais para montar seu programa de governo. Participaram do encontro no escritório do juiz, em Campo Grande, os presidentes regionais do PDT, João Leite Schimidt, e Cláudio Sertão, do Podemos, e outros dirigentes das siglas.

Biffi na chapa

A chapa do pré-candidato Odilon de Oliveira (PDT) ao governo vai ganhando contornos. Além de Chico Maia (Podemos) para disputar uma das vagas ao Senado buscando apoio do setor rural (leia acima), o PDT pode lançar candidato próprio para a outra vaga: o ex-deputado federal Antonio Carlos Biffi, cotado a buscar votos no campo de centro esquerda e no setor da educação pública, um dos pilares defendidos pelo partido.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Marco Eusébio

Marco Eusébio

Jornalista, blogueiro e analista político.


Saiba mais sobre Marco Eusébio...