Semana On

Sexta-Feira 24.nov.2017

Ano V - Nº 281

Camara

Coluna Marco Eusébio Online

Operação Antivírus prende e Justiça solta em MS

As notícias políticas da semana no MS, com Marco Eusébio

Postado em 01 de Setembro de 2017 - Marco Eusébio

A operação Antivírus do Gaeco – que investiga indícios de corrupção e fraudes em contratos de empresas de informática com o Departamento Estadual de Trânsito (Detran-MS) em Campo Grande - gerou rebuliço na cidade. Mas, já foram soltos por meio de habeas corpus concedidos pelo desembargador João Maria Lós (de plantão no TJMS) o diretor-presidente do Detran-MS, Gerson Claro, o diretor-adjunto Donizete Aparecido da Silva, o diretor de tecnologia da informação, Gerson Tomi; o diretor de Administração e Finanças, Celso Braz; e o chefe de Arrecadação, Erico Mendonça. Além dos integrantes da cúpula do Detran, foram soltos Jonas Schimidt das Neves, sócio da Digitho Brasil (atual Digix), e seu secretário Claudinei Rômulo. Lós também mandou soltar o ex-deputado estadual Ary Rigo. Impedidos de exercer os cargos, frequentar dependências do Detran-MS e de manter contato com funcionários do órgão. Gerson Claro e o demais integrantes da cúpula do órgão pediram exoneração dos cargos. O ex-prefeito de Nova Andradina, Roberto Hashioka (PSDB), foi nomeado para comandar o Detran-MS. O decreto sobre a nomeação dele está publicada na edição de sexta-feira (1º) do Diário Oficial do estado.

Direito de ir e vir

Apesar de o governo de MS ter recuado no decreto que proibia protestos no Parque dos Poderes, revogando inciso que só permitia "concentração de pessoas, eventos ou reuniões" na região com autorização prévia da Secretaria de Estado de Governo (leia a nota abaixo), a briga da oposição continua. O deputado Amarildo Cruz (PT) anunciou na Assembleia que vai entrar com ação conjunta com várias entidades de classe na Justiça para derrubar o decreto em sua totalidade. "O decreto do Executivo é inconstitucional e afronta a liberdade e a dignidade humana, deixando claro o modelo de governo de exceção que administra Mato Grosso do Sul. Um governo que cerceia o direito do cidadão de se organizar e se manifestar. Por isso vamos impetrar uma ação conjunta, para derrubar de uma vez por todas esse retrocesso", disse Amarildo, que classificou o decreto como "um tiro no pé" do governo Azambuja.

Moka vai coordenar debate sobre doenças raras em subcomissão do Senado

O senador Waldemir Moka (PMDB-MS) assumiu a presidência da nova Subcomissão sobre Doenças Raras, da Comissão de Assuntos Sociais (CAS) do Senado, recém-criada com o objetivo de aperfeiçoar a legislação sobre o tema. A primeira reunião será no dia 12 de setembro. A questão orçamentária é uma das prioridades. "Queremos garantir os recursos e uma rubrica no orçamento do ministério da Saúde para que os remédios de alto custo sejam disponibilizados no SUS", disse o senador, lembrando da demora da liberação pela Anvisa de medicamentos para doenças pouco conhecidas que vitimizam cerca de 13 milhões de brasileiros. “Há pessoas desesperadas porque os remédios são caríssimos”, alerta. Doenças raras são aquelas que afetam até 65 de cada 100 mil pessoas. No Brasil, atingem de 6% a 8% da população.

Senado vai ouvir opiniões para regulamentar 'carona paga' no País

Relator de três projetos que tratam do assunto no Congresso, o senador Pedro Chaves (PSC-MS) vai promover audiências públicas para colher sugestões que ajudem a regulamentar o serviço de "carona paga" prestado por empresas como o Uber, Cabify e 99 Taxi, em todo o Brasil. “Dentro de no máximo quinze dias ocorrerão as primeiras audiências na Comissão de Ciência e Tecnologia (CCT) do Senado. Vamos ouvir taxistas, motoristas de Uber, representantes das empresas, dirigentes sindicais e autoridades de trânsito para fazer um relatório equilibrado, que contemple os interesses de todos, sem prejudicar ninguém", disse Chaves hoje à Rádio Senado. "Nós temos que fazer com que o projeto de lei daqui do Senado, depois de aprovado, seja um marco regulatório para o transporte público (autorizado pelas prefeituras) e privado (que usa a plataforma digital)", afirmou.

Conversando até com o André

Contrariando a imagem de não ter diálogo, que foi uma de suas marcas quando prefeito, Alcides Bernal anda conversando com muita gente de olho nas eleições de 2018 na condição de presidente regional do PP. Já andou falando com João Leite Schimidt, do PDT, com o ex-deputado Biffi (ainda do PT) e com os presidentes do Podemos, Cláudio Sertão; do PMN, Máximo Brasil; e do PROS, Abrão Malulei. E, conforme orientação do PP que em nível nacional segue alinhado ao PMDB, Bernal esteve nesta semana com um de seus mais famosos desafetos, o ex-governador André Puccinelli.

Aniversariando, prefeito Marquinhos manda recado aos 'amigos do poder'

Ao completar 53 anos na última segunda-feira (28), Marquinhos Trad expressou algumas características dos virginianos: o elevado senso crítico e a sinceridade. Em ato na Secretaria Municipal de Educação (Semed), o prefeito mandou seu recado aos "amigos do poder", ao lembrar do pai, o saudoso Nelson Trad. Contou que o ex-deputado atuou por cerca de 20 anos como Congressista em Brasília e, ao passar os fins de semana em Campo Grande, os amigos faziam fila em sua casa para falar com ele. Poucos meses depois de deixar o mandato, tudo mudou. Já sofrendo do Mal de Alzheimer, conforme o prefeito, seu pai chegou a questionar a esposa Terezinha se haviam mudado de casa, ao sentir falta dos "amigos" que antes o procuravam; e chegou a pedir ao filho para ajudar a consertar o celular "estragado", porque já não tocava como antes. Depois das reminiscências, sem citar nomes, o aniversariante mandou seu recado dizendo que pede a Deus sabedoria para distinguir quem está perto dele por ser o Marquinhos, e não por causa do sobrenome ou por ser prefeito, relatou o site Midiamax. Que assim seja!


Voltar


Colunista

Marco Eusébio

Marco Eusébio

Jornalista, blogueiro e analista político.


Saiba mais sobre Marco Eusébio...

Comente sobre essa publicação...