Semana On

Terça-Feira 13.abr.2021

Ano IX - Nº 438

Coluna Eles em Nós

Bloquear transporte de oxigênio: ok. Criticar o governo em praça pública: cana

Idelber Avelar fala de petardos, plágios falsos, surrealismo bolsonariano e quetais

Postado em 17 de Março de 2021 - Idelber Avelar

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Bloquear transporte de oxigênio para pessoas que estão morrendo: OK.

Criticar o governo em praça pública: cana.

PLÁGIO...

É inacreditável o que aconteceu no meu mural. Se você quer uma aula sobre o porquê de Bolsonaro ter sido eleito, é só você rolar a TL e ler os comentários.

Mariliz escreveu uma coluna para a Folha elencando vitupérios vários que se aplicam a Bolsonaro. Muito bem feito. Por casualidade, quando o texto saiu, à meia-noite, eu estava online e imediatamente o compartilhei.

Quando fui dormir, o texto já tinha mais de 1.000 compartilhamentos, o que é bastante para a minha página. O texto não viralizou apenas aqui. Viralizou na internet inteira. Minha irmã Larissa me conta que viu o texto de manhã em comarcas do zapistão nas quais a luta contra Bolsonaro jamais havia chegado. Tive outros depoimentos semelhantes.

Aí o que faz o cara de esquerda que nunca foi conhecido em lugar nenhum por fazer contribuição original nenhuma a disciplina nenhuma? Vem à minha página acusar a Mariliz de plágio!, porque aparentemente o Ruy Castro também havia feito um texto NESSE GÊNERO, que é um gênero antiquíssimo na história da literatura: a listagem de vitupérios. Foi um gênero praticado por Shakespeare, Rabelais, Swift, e mais um monte de gente.

É impressionante a leviandade com que se zanza hoje pela internet fazendo falsas acusações de plágio.

A pessoa, engatinhando em suas primeiras leituras, sem saber o que é um gênero e há quanto tempo se pratica aquele gênero, identifica alguma vaga semelhança entre dois textos e, por recalque com a Mariliz, talvez porque ela é liberal, talvez porque ela não obedeça ao Lula, talvez porque ela também criticava os governos do PT, talvez simplesmente porque ela seja uma mulher fodona e bem sucedida, sai pela internet atirando uma acusação estapafúrdia dessas.

Então nós ficamos assim: a Mariliz emplacou um petardo contra Bolsonaro que teve um impacto enorme, circulou bastante. Mas em certos setores da esquerda, mais importante é detonar a Mariliz por algum recalque ou briguinha partidária.

Desse jeito, é melhor vocês se prepararem para um Reich bolsonarista de cem anos.

DEMÊNCIA

O grau de demência que se apossou do Brasil é tal que, no país inteiro, há cidades que mantêm os bares e restaurantes funcionando mas ... proíbem mesas na calçada!

Jisuis, a burrice!

A estas alturas do campeonato, não é necessário ser um Thomas Conti para saber que, com alguma distância, ao ar livre, produz-se um perigo infinitamente menor do que o gerado por multidões empacotadas em um restaurante fechado. Isso é óbvio, caceta!

No entanto -- Sarubo me informa --, enquanto a prefeita de Roma grava um vídeo avisando que as mesas ao ar livre serão a regra em 2021 e que as licenças para esses estabelecimentos serão renovadas gratuitamente, São Paulo proíbe mesas na calçada! Enquanto empacota todo mundo lá dentro.

O país escolheu morrer, é isso? Claro que Bolsonaro é o maior criminoso responsável, mas será que a sociedade civil e as autoridades locais não conseguem fazer NADA?

Eu vivo e trabalho alhures mas, em 30 anos fora, nunca passei um inteiro sem vir aqui. Em geral fico no Brasil 1/3 do meu tempo. Aqui está a gente que eu amo.

E eu presencio, estupefato, um país que escolheu morrer.

INOMINÁVEL

Não tem nome o que está acontecendo e, pior, o que vai acontecer no Brasil. Mesmo que, por um passe de mágica, o governo e a sociedade começassem fazer tudo certinho a partir de agora, mesmo assim o morticínio seria estrondoso nas próximas semanas e meses. Imaginem como será a realidade.

O Brasil voltou a bater recorde de mortes em 24h: foram 2.842 óbitos.

Chegamos a mais de 280.000 mortos.

Em Natal, Maceió, João Pessoa e aqui em Aracaju, foi suspensa a vacinação, por falta de doses. Minas Gerais avisou que estão acabando o oxigênio e a anestesia.

São Paulo bateu outro recorde: 679 mortes em 24 horas. Dessas, 77 foram de pessoas que estavam na fila esperando leito, o que é um tipo de morte que me revolta, porque temos um sistema de saúde robusto, que estaria lidando razoavelmente bem com a pandemia, se houvesse governo decente.

Para que se tenha uma ideia: só hoje, e só no estado de São Paulo, morreram mais que o dobro de pessoas de CUBA INTEIRA em TODA a pandemia. O estado de São Paulo teve hoje mais óbitos que a Noruega inteira durante toda a pandemia. Reitero: só hoje, e só no estado de São Paulo.

Os cadáveres vão se empilhando e os fabricantes estão avisando que vai faltar caixão no país.

FORA, BOLSONARO. IMPEACHMENT JÁ!

O 04

Está aberto o inquérito sobre o 04:

"A Polícia Federal abriu um inquérito para apurar suspeitas de tráfico de influência envolvendo Jair Renan Bolsonaro, filho do presidente Jair Bolsonaro. A suspeita é de que ele tem atuado para marcar reuniões e abrir portas no governo federal para empresas privadas, como revelou O GLOBO no domingo.

O caso começou a ser apurado na Procuradoria da República do Distrito Federal (PR-DF), após representação de parlamentares da oposição. Depois, a Procuradoria enviou o caso para a PF entrar na apuração. O inquérito policial está na Superintendência do Distrito Federal."


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Idelber Avelar

Idelber Avelar

Idelber Avelar é professor titular de literatura latino-americana e teoria literária em Tulane University.


Saiba mais sobre Idelber Avelar...