Semana On

Quarta-Feira 23.set.2020

Ano IX - Nº 411

Coluna Eles em Nós

Conseguiremos derrubar Bolsonaro?

Idelber Avelar fala do desastre diplomático com a China, coronavírus e otras cositas más

Postado em 20 de Março de 2020 - Idelber Avelar

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Fucei minha memória e não achei nada igual. Como há umas feras em política que me dão a honra de acompanhar estes rabiscos, vou marcá-los para ver: craques da ciência política como Bolívar Lamounier e meu conterrâneo (e agora diretor da histórica Fafich) Bruno P. W. Reis, experientes quadros da política como Elena Landau, ou doutorandos na área que sabem história e têm boa memória, como o Henrique Kopittke, ou doutorandos e ativistas super bem informados, como o Bernardo Jurema, vamos ver, aí vai o desafio:

- Alguém se lembra, na história das democracias modernas, de um embaixador de um país grande (não Luxemburgo, não o Uruguai, mas a China) dando um SACODE-IAIÁ no filho do Presidente de uma República grande (não a Líbia, não a Guatemala, mas o Brasil) como deu o embaixador chinês ontem em Duduzinho Bolsonaro? Ou mesmo em algum Deputado Federal do país que o hospeda?

Não creio que tenha jamais acontecido. Certamente nunca aconteceu no Twitter, e com mais certeza ainda nunca aconteceu com um tuíte que o covarde depois apagou.

*****

As últimas 48 horas foram terríveis para Jair. Levou um sabão esclarecido de um cidadão haitiano, que lhe falou em um português cristalino que--garanto-lhes, como profissional de Letras--era compreensível por qualquer falante nativo de português brasileiro, do Oiapoque ao Chuí. E o covarde do Jair fingiu que não entendia o haitiano.

Enquanto isso, foram se amontoando as primeiras consequências nefastas da resposta catastrófica do governo ao covid-19, e fechou-se o período com o maior panelaço dos últimos anos no Brasil.

Para completar, protocolaram-se pedidos de impeachment de Jair e, à noite, o filhote Dudu levou um sabão do embaixador chinês, que lhe fez apagar um tuíte e sair correndo. Já há doze horas, o neném de Jair levou essa humilhação para casa e Jair nem abriu o bico. Um embaixador que recebe ordens do Partido Comunista! Imaginem como se encolheram os já reconhecidamente párvulos atributos de Duduzinho e Jair!

*****

Bolsonaro pode cair?

Não digo que vá acontecer, não digo que seja sequer provável, mas nos últimos dois dias a queda de Jair já passou a ser algo sobre o que podemos conversar, está no horizonte do possível. Eles sentiram o golpe de verdade, foi uma sucessão de pancadas. Estão grogues e nas cordas.

DUDUZINHO E PEQUIM

Segurem-se aí, compatriotas, vêm consequências, porque a China não abre a boca à toa. Eles sabem jogar esse jogo há uns 5.000 anos e jogam com extrema maestria e cuidado.

E quem está falando agora não é o embaixador, quem fala agora é Pequim. Duduzinho irresponsável pode ter metido o Brasil em uma enrascada daquelas.

"PEQUIM — O governo chinês chamou, nesta sexta-feira, as declarações do deputado federal Eduardo Bolsonaro (PSL-SP) sobre a pandemia do novo coronavírus de "imorais e irresponsáveis". Os comentários do parlamentar, que geraram uma crise diplomática entre Brasília e Pequim, já haviam sido duramente refutados pela embaixada chinesa no Brasil, que fez um apelo para que o Itamaraty enquadrasse o filho mais velho do presidente." – No jornal O Globo.

CURVA DISTÓPICA

Aí vai um vídeo com a linha do tempo do covid-19 no Brasil, justaposta às declarações irresponsáveis do criminoso Bolsonaro. Ilustra perfeitamente o descaso.

ELE NÃO

Todo mundo próximo do Jair tem o coronavírus, menos ele. Incrível como esse homem consegue ser puro no meio de tanto familiar ruim!

Ide 1

O MAIS DIFÍCIL

Boa parte do estresse desta pandemia é lidar com a dor de que amar o outro, amar quem é mais especial, pode significar a escolha de não vê-lo ou não vê-la, exatamente porque ela é um ser amado.

Moro em New Orleans desde 1999 e nesta casa desde 2007. Ela fica uns cem metros ao norte do rio, na parte oeste da cidade (uptown), no meio de bares e restaurantes. Minha casa está também a meia quadra de distância do maior asilo da cidade, um latifúndio urbano que ocupa um quarteirão inteiro. Nesse asilo já morreram dois.

Como vivo andando a pé, e como o asilo é uma mansão rodeada de espaços gramados, e a separação com o mundo é só uma cerca de ferro, é comum que os velhinhos se sentem ou passeiem perto da calçada e eu, indo comprar mantimentos ou beber uma cerveja, detenha-me ali e conte um causo a um ou outro. Nem sei o nome de ninguém lá, mas muitos me conhecem por rosto ou nome, e eu conheço vários por rosto.

Hoje, saí pela primeira vez, rapidamente, à fármacia, para comprar um pacote de cigarros (em função do que aconteceu, decidi que seriam vários pacotes, na verdade). Passando em frente ao asilo, vi os velhinhos de longe, eles me reconheceram, eu fiz o movimento de me aproximar da mansão e .... STOP. A uns 50 metros de distância, longe mesmo.

Mas perto o suficiente para ver os olhares de tristeza deles, no momento em que se deram conta do que havia rolado. Aí foi bem difícil segurar, desabei a chorar olhando para eles, naquela cena patética, uma pessoa chorando, enquanto olha na direção de 6 ou 7 pessoas que ama, por quem tem o maior carinho, situadas a 50 metros de distância, sem poder fazer nada.

É dilacerante, deve ter um custo emocional alto. Vamos direito sabendo com o tempo.

CONTA FAKE

Já em 2020, com 2 décadas de rede mundial de computadores, temos ou já tivemos ou interagimos com contas fake. Tenho meu fake, você tem o seu, todo mundo montou um fake em algum momento.

Mas, pela primeira vez na história da rede mundial de computadores, a conta oficial de um Presidente (@jairbolsonaro) é uma CONTA FAKE, ou seja, não é Jair escrevendo e não é uma assessoria escrevendo o que lhe passa Jair.

É UMA CONTA FAKE ...

... na qual aquele que escreve é filho do dono do perfil (e vereador da terra das milícias com as quais anda!). O pai presidente sai dali e diz o contrário do que havia dito o fake-filho escrevendo em seu nome.

É fucked up em um nível inaudito. 'Tamo muito fodido, compatriotas.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Idelber Avelar

Idelber Avelar

Idelber Avelar é professor titular de literatura latino-americana e teoria literária em Tulane University.


Saiba mais sobre Idelber Avelar...