Semana On

Terça-Feira 12.dez.2017

Ano V - Nº 283

AL

Coluna Cine Drops

Meu corpo é político

Quando ser quem você é torna-se uma militância diária

Postado em 30 de Novembro de 2017 - Danilo Custódio

Fernando Ribeiro batalha para ter direito a utilizar o nome masculino em seus documentos, Giu Nonato tem um suado trabalho fotográfico de valorização dos corpos, Paula Beatriz é diretora de escola estadual e Linn Santos é uma funkeira queer. Em comum, a periferia de São Paulo e a luta diária pelo direito de existirem como são. Meu corpo é político, de Alice Riff, chega ao circuito comercial brasileiro depois de uma excelente trajetória em festivais importantes, acumulando elogios de uns e comentários deselegantes de outros. É, sem dúvida, um filme que sacode a gente, ampliando nossa percepção acerca da vida, do universo e tudo mais. E trata-se da mais importante estreia que o cinema brasileiro oferece nessa semana, porque não podemos mais tolerar uma sociedade que inventa leis para reprimir o indivíduo, privando-o de exercer o seu direito de existir como é. Vale muito a pena conferir, então ligado na fanpage do filme, descubra onde assisti-lo e programe-se!

Cinema brasileiro em Sundance

Tati é uma jovem cheia de vida que gosta de compartilhar seus melhores momentos no Instagram e Facebook, até sofrer um revés na vida quando algo que ela não queria compartilhar com ninguém cai no grupo de whatsapp do colégio. Essa é a história de Ferrugem, de Aly Muritiba, que em janeiro ganhará as telas de um dos mais importantes festivais de cinema do mundo, durante a mostra competitiva World Cinema da próxima edição do Festival de Sundance. Vale lembrar que foi esse festival que apresentou ao mundo filmes como Cães de Aluguel, Pequena Miss Sunshine, Boyhood: Da Infância à Juventude, Whiplash: Em Busca da Perfeição e tantos outros. E olha que essa já é a segunda vez que o diretor Aly Muritiba é convidado pelo festival, na primeira foi quando o projeto do seu primeiro longa recebeu financiamento do Global Filmmaking Award/Sundance Institut 2013. Ferrugem é uma co-produção da Grafo Audiovisual com a Globo Filmes, tem Fernando Meirelles e Guel Arraes como produtores associados e será distribuído no Brasil pela Olhar Distribuição. A previsão de estreia no circuito comercial brasileiro é no segundo semestre de 2018.

Enquanto isso, em Brasília...

Trabalha-se muito na Agencia Nacional do Cinema (ANCINE) e no Banco Regional de Desenvolvimento do Extremo Sul (BRDE), para dar conta de escoar os muitos milhões de reais que anualmente caem na conta do Fundo Setorial do Audiovisual (FSA). O Fundo nasceu junto com a regulamentação das concessões para que as empresas de telefonia pudessem explorar também o mercado de TV por assinatura. A partir de então, de cada um real gasto com telefones e internet em todo país, alguns poucos centavos caem nesse Fundo. Os valores que ele acumula são exorbitantes e esse dinheiro todo existe para uma única finalidade: ser investido no setor da indústria audiovisual brasileira. Ainda bem que o trabalho por lá é sério e comprometido, o que possibilitou muitas transformações positivas no mercado audiovisual brasileiro ao longo dos últimos anos. Atualmente, acabaram de divulgar o resultado preliminar de habilitação das propostas inscritas na Chamada Pública PRODAV 03/2017 - Núcleos Criativos do Programa Brasil de Todas as Telas. O edital investe R$ 15 milhões do Fundo na estruturação de núcleos criativos para o desenvolvimento de carteiras de projetos e já está na sua 5ª edição, sendo a principal aposta do FSA no desenvolvimento de roteiros brasileiros para cinema e televisão e de novos formatos para TV e internet.


Voltar


Colunista

Danilo Custódio

Danilo Custódio

Cinéfilo desde criancinha. Coordenador e professor na escola de artes visuais e cinema Espaço de Arte.


Saiba mais sobre Danilo Custódio...

Comente sobre essa publicação...