Semana On

Quarta-Feira 21.nov.2018

Ano VII - Nº 328

Gov Inst

Coluna Agromundo

JBS, BRF e Marfrig não estão na lista de frigoríficos que podem voltar a exportar para a Rússia

Mercado russo estava fechado para a carne brasileira desde dezembro do ano passado por conta de contaminação com substância proibida no país

Postado em 31 de Outubro de 2018 - Redação Semana On

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Frigoríficos da JBS, BRF e Marfrig ficaram de fora das unidades que podem voltar a exportar carne para a Rússia. O mercado russo estava fechado para a carne brasileira desde dezembro do ano passado.

O embargo havia sido imposto porque o país havia identificado contaminação com ractopamina e outros estimulantes de crescimento nos produtos. O uso da substância na alimentação dos animais é permitido no Brasil, mas proibido na Rússia e outros países da Europa.

Segundo comunicado do Ministério da Agricultura, Pecuária e Abastecimento (Mapa) nove empresas que estavam com as exportações suspensas poderão voltar a comercializar carne com a Rússia. São elas:

  • Barra Mansa Comércio de Carnes e Derivados Ltda (SIF 941 - carne bovina desossada e carne suína e carne suína in natura)
  • Agra Agroindustrial de Alimentos S/A (SIF 3941 - abate de gado, corte, armazenamento de carne bovina; carne suína crua)
  • Alibem Alimentos S/A (SIF 2146 - carne suína e carne suína crua)
  • Alibem Alimentos S/A. (SIF 915 - carne suína e carne suína crua)
  • Adelle Indústria de Alimentos Ltda (SIF 15 - suínos para abate, corte e estocagem de carne suína, produção de subprodutos e carne de suíno gordo)
  • Minerva S/A (SIF 431 - carne bovina desossada e carne crua)
  • Cooperativa Central Aurora Alimentos (SIF 3847 - carne suína e carne suína crua)
  • Frigorífico Astra do Paraná Ltda (SIF 1251- abate e corte de gado)
  • Frigorífico Vale do Sapucaí Ltda (SIF 1883 - abate de bovinos, corte, armazenamento de carne bovina, produção de subprodutos e gorduras bovinas)

O secretário de Defesa Agropecuária do Mapa, Luis Rangel, disse que espera que, com a reabertura do mercado russo, os frigoríficos consigam recuperar o fôlego perdido com a greve dos caminhoneiros.

“Esperamos que o setor privado entenda que as ações de certificação e segregação são necessárias para preservar este mercado”, disse em nota.

Na véspera, o ministro da Agricultura, Blairo Maggi, comemorou a queda do embargo e agradeceu ao presidente russo, Vladimir Putin, com quem tratou sobre o assunto por telefone.

“É difícil abrir mercado, é fácil perder mercado e muito mais difícil recuperar mercado”, disse em vídeo distribuído pelo Whatsapp.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Equipe Semana On

Equipe Semana On

Coluna editada pela equipe da Semana On.


Saiba mais sobre Equipe Semana On...