Semana On

Domingo 15.dez.2019

Ano VIII - Nº 375

Coluna Conexões

Conserino, o aloprado

O circo fajuto do MP de São Paulo

Postado em 11 de Março de 2016 - Bruno Lima Rocha

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

Na quinta-feira (10) o promotor Cassio Conserino virou o fio e elevou o tom de perseguição política nesta campanha jurídico-midiática. Quis criminalizar o fato de que ainda alguns petistas se reivindicam "marxistas" e, como tal, são sucessores de Hegel, que também entrou na denúncia! O promotor que fala com a sonoridade do ovo na boca traz consigo a marca da pauliceia quatrocentona, embora ele mesmo tenha origem italiana, mas deve crer que alcançou o MP de São Paulo por méritos próprios, tendo assim direitos divinos de felicidade, estando acima dos faxineiros de seu edifício, por exemplo. Esta equipe de promotores pediu prisão preventiva para Lula, antes anunciando a investigação e a denúncia na Veja, dando vazão para sua ira no Grupo Naspers-Civita e depois pela horrorosa coletiva de 5a, 10 de março, pela tarde.

Sincera e honestamente, Lula, Zé Dirceu, Berzoini, antes Meneghelli e Vicentinho, Luiz Marinho e outros tantos, deveriam ser antes julgados por seus pares, por seus desvios, por sua famigerada aliança com o andar de cima, por subjugar a sua hegemonia na classe trabalhadora para o pacto com o capital nacional e transnacional gerando emprego direto. Esta gente não é - e talvez nunca tenha sido - socialista, é estatista, tal e como o stalinismo, e só pensam em termos de Estado Nacional e aliança Capital-Trabalho. Vargas sorri no inferno, mas o Lacerda, que o demônio recusou, encarna em gente do quilate de Moro e Conserino.

O viralatismo é o inimigo comum da maioria dos brasileiros, mas isso não pode implicar em ir à reboque do governo de Kátia Abreu e outros oligarcas e genocidas. Toda a atenção é precisa, e dia 13, eu sinceramente sugiro aos ainda convictos nas hostes da centro-esquerda, que pensem qual o projeto estratégico para o Brasil a partir da construção de poder para a maioria, e não ir à reboque de um homem que, através de seu carisma e capital eleitoral, decide acima de 800 mil filiados de sua própria legenda.

Cassio Conserino é o palhaço da semana, com Hegel no processo e tudo. Prefiro Mazzaropi ítalo-brasileiro com a cara do povo.

 

Esta é a "lucidez de esquerda?! OU - O que que essa gente tem na cabeça....

Estava lendo a Carta Capital para ver as análises após a sexta feira passada e a denúncia do MP de São Paulo quando me deparo com interessante - e depois - decepcionante texto de Gilberto Maringoni. Sinceramente, não há como colocar aqui o link para o texto que considero razoável sem destacar esta aberração política.

"Não nos esqueçamos de Alan Garcia, que cumpriu dois papéis históricos na presidência do Peru, o progressista (1985-1990) e o regressista (2006-2011)."

Está assim escrito, sem remorso, afirmando que o primeiro governo de Alan García no Peru foi "progressista". Foi o governo que promoveu a guerra interna contra o MRTA e o Sendero, que permitiu as Rondas Campesinas, que deu carta branca para as Forças Armadas peruanas, que enterrou de vez o que restava de herança de Alvarado naquelas corporações. Ai ai, se esta é a "esquerda lúcida" brasileira, então no final quem se salva...As miríades eleitorais e a determinação de generalidades a partir de conceitos para lá de discutíveis dão nisso.

Os mártires de Canto Grande e da selva de San Martín, além do comando da embaixada do Japão em 1997 deveriam ser melhor lembrados. Como dizem os colombianos, "ay que pereza!"

Segue o LINK da aberração.


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Bruno Lima Rocha

Bruno Lima Rocha

Bruno Rocha é jornalista, mestre e doutor em ciência política pela UFRGS. Está vinculado aos setores mais combativos do movimento popular gaúcho e do cone sul.


Saiba mais sobre Bruno Lima Rocha...