Semana On

Domingo 15.dez.2019

Ano VIII - Nº 375

Coluna Conexões

Realismo político ao nosso modo

O fim de um ciclo.

Postado em 18 de Dezembro de 2015 - Bruno Lima Rocha

Nossos Odoricos. Nossos Odoricos.

Clique aqui e contribua para um jornalismo livre e financiado pelos seus próprios leitores.

No momento, este governo eleito com voto popular e governando por direita se equilibra em cima de Renan Calheiros (PMDB-AL) como o grande aliado e em contraponto a Michel Temer, político de base quercista em São Paulo. Sem querer abusar, nosso país depende mais que nada deste operador e seu alter-ego, Odorico Paraguaçu.

Sugestões para a equipe econômica - em tom de ironia

Se fosse para montar mesmo, eu não teria jamais ministérios e sim equipes colegiadas, indicadas mediante voto popular. Meu time dos sonhos seria: Luiz Gonzaga Belluzzo no Planejamento, José Luiz Fiori na Fazenda e Ladislau Dowbor no MDIC além de Maria Lúcia Fatorelli no Banco Central. Ah nas Comunicações César Bolaño e acatando a dica nos comentários, na pasta da Agricultura João Pedro Stédile. Lógico que o regime seria por Conselhos Populares e a figura da presidente seria trocada por uma secretaria executiva dos conselhos do povo. E, toda decisão estratégica passaria por mecanismo plebiscitário. E então, quem se soma na proposta?

O Brasil à beira de um ataque de nervos!

O ministro Gilmar Mendes segue a tese de José Dias Toffoli e acaba de decretar o parlamentarismo no Brasil! ele repetiu textualmente: "Se o governo não tem sequer 171 votos como vai governar o Brasil? Através de liminar?". E viva a democracia indireta e representativa. Imagina se fosse um governo por esquerda?!

Pelo STF

O STF pelo visto decidiu pelo voto aberto para a instalação da comissão especial na Câmara e a montagem das chapas através do colégio de líderes. Também inclina até agora a decisão do processo nas duas casas e não o afastamento imediato na Câmara e 180 dias depois a ser apreciada pelo Senado. Pelo visto a ADPF do PC do B terminou sendo um recurso positivo para o governo, o que fortalece ainda mais a posição do aliado secundário mas coeso internamente. Entre o voto do relator e a posição do ministro Toffoli a base da tal governabilidade tremeu. Mas como disseram os ministros Gilmar Mendes - tucano - e José Dias Toffoli - ex petista - "como pode querer governar sem ter sequer 171 votos na Câmara?". Este analista perguntou o mesmo quando fez a conta de chegada dos votos de deputados quando do auge da orgia das manobras na sessão da pancadaria. E agora MST e MTST? Ainda vão fazer mobilização ou a luta popular brasileira sob hegemonia destes movimentos se resume a ser base de manobra para o governo do Bradesco e da Friboi?


Voltar


Comente sobre essa publicação...

Colunista

Bruno Lima Rocha

Bruno Lima Rocha

Bruno Rocha é jornalista, mestre e doutor em ciência política pela UFRGS. Está vinculado aos setores mais combativos do movimento popular gaúcho e do cone sul.


Saiba mais sobre Bruno Lima Rocha...